Hannah Mckay/Reuters
Hannah Mckay/Reuters

Neymar afirma ter treinado bem e promete: 'Vamos fazer um segundo jogo melhor'

Atacante deixou o treino mais cedo na terça-feira e chegou a levantar dúvidas sobre a sua condição física

Ciro Campos, enviado especial / Sochi, O Estado de S.Paulo

20 Junho 2018 | 16h54

O atacante Neymar demonstrou bastante otimismo nesta quarta-feira ao falar da sua situação física e também do confronto da seleção brasileira com a Costa Rica, o segundo jogo da equipe pela Copa do Mundo da Rússia. Em entrevista à CBF TV, o camisa 10 prometeu que o time conseguirá demonstrar em campo, na sexta, em São Petersburgo, uma atuação melhor do que a exibida na estreia, contra a Suíça, no último domingo.

+ Neymar fora da Copa? Atacante treina e viaja para enfrentar a Costa Rica

+ A dois dias de jogo do Brasil, torcida começa a tomar ruas de São Petersburgo

+ CBF lamenta posição da Fifa e promete 'diálogo' para evitar erros contra seleção

"Expectativa grande para o segundo jogo. Esperamos fazer um jogo muito melhor do que na estreia. Queremos vencer. A gente está indo para vencer e jogar bem", afirmou Neymar. O Brasil ficou no empate em 1 a 1 com a Suíça, em Rostov, e agora precisa ganhar da Costa Rica para não ver a chance de classificação às oitavas de final ficar ameaçada. Os adversários de sexta-feira perderam na estreia por 1 a 0 para a Sérvia.

A presença do atacante na partida chegou a ser dúvida depois de ele ter deixado o treino mais cedo na terça-feira. Neymar sentiu dores no tornozelo direito durante o aquecimento, saiu de campo mancando e demonstrou irritação com o problema. O jogador recebeu atenção especial do departamento médico da seleção brasileira, porém, voltou ao trabalho na atividade fechada nesta quarta.

 

Neymar garantiu não ter sentido limitações de movimento. "Eu treinei bem, eu me senti à vontade e o pé está tranquilo", afirmou. Segundo a CBF, o problema que tirou o atacante da atividade foi causado pelo excesso de pancadas e faltas sofridas no domingo, contra a Suíça. O camisa 10 sofreu dez faltas, de acordo com as estatísticas da Fifa sobre a partida.

O atacante explicou que o trabalho para se construir uma boa atuação contra a Costa Rica está bem encaminhado. "O (técnico) Tite vai nos passar tudo sobre o adversário. O treino foi mais para nós do que para o próprio adversário. A gente vai analisar tudo e ver qual a melhor forma de vencê-los."

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.