Neymar atropela o São Paulo, faz três gols e leva o Santos para a final

Atacante marca três vezes (3 a 1) e chega ao seu centésimo gol com a camisa do time

Gabriel Melloni, estadão.com.br

29 de abril de 2012 | 15h26

SÃO PAULO - O Santos é finalista do Campeonato Paulista. A equipe do técnico Muricy Ramalho garantiu vaga neste domingo ao vencer o São Paulo por 3 a 1, no Morumbi, pela semifinal.  Neymar fez três gols. O Santos vai encarar agora o Guarani, que despachou a Ponte Preta, no grande dérbi de Campinas, por 3 a 1 também. O time de Muricy fará a segunda partida como mandante nos jogos da decisão por ter feito a melhor campanha. O regulamento prevê duas partidas na finalíssima do Paulistão.

  

O confronto deste domingo teve todos ingredientes de um bom jogo: rivalidade, muitas chances de ambos os lados, erros da arbitragem, falha de goleiro e três gols do principal craque em campo: Neymar, que marcou duas vezes no primeiro tempo e uma no segundo, para definir o resultado. Ele ainda chegou à artilharia da competição, com 16 gols - contra 15 de Hernane, do Mogi Mirim.

Com a vaga na decisão, o time santista tem a chance de conquistar o tricampeonato paulista, já que venceu em 2010 e 2011. Isto não acontece desde 1969, quando o próprio Santos ganhou seu terceiro Paulistão consecutivo, ainda com Pelé. É também o quarto ano seguido que o Santos chega à final do Estadual. Em 2009, perdeu para o Corinthians.

A equipe visitante entrou em campo neste domingo com uma mudança no ataque: Alan Kardec no lugar de Borges. Muricy Ramalho explicou que a opção se deu pela qualidade do São Paulo nas jogadas de bolas aéreas e Alan, mais alto, poderia ajudar a defesa e ser mais efetivo no ataque neste tipo de lance.

O JOGO

Logo a 1 minuto, o Santos conseguiu um pênalti a seu favor. Arouca puxou contra-ataque e lançou para Alan Kardec, que tentou driblar Paulo Miranda e foi calçado por baixo pelo zagueiro. Na cobrança, Neymar bateu no alto, no canto direito de Dênis, que pulou para o esquerdo, e marcou o primeiro. Foi o centésimo gol do atacante com a camisa santista.

O São Paulo não se intimidou com a desvantagem, pelo contrário, acordou na partida. Usando muito as jogadas pelos lados, principalmente com Cortez pela esquerda, a equipe da casa cresceu e passou a dominar as ações. Aos 10 minutos, Jadson bateu escanteio, Paulo Miranda subiu antes da saída de Rafael e cabeceou na trave. No lance, o goleiro acabou sentindo uma lesão no joelho direito, recebeu tratamento, mas ficou em campo.

Quatro minutos depois, Rafael precisou trabalhar em cobrança de falta de Denilson, que quicou na grama molhada e quase o enganou. O São Paulo não diminuía a pressão e teve boa chance de empatar aos 21, quando Casemiro recebeu bom passe de cabeça e bateu cruzado, com perigo.

Quem marcou, no entanto, foi Santos. Aos 31 minutos, Rhodolfo tirou a bola, mas ela ficou com Ganso, que tocou rápido para Neymar. O atacante aproveitou a bobeada de Paulo Miranda na marcação, arrancou e tocou de pé esquerdo no canto de Dênis para marcar seu 101.º gol com a camisa santista. Ele é agora o 21.º maior artilheiro da história do clube, empatado com Juary, a quem homenageou na comemoração.

No segundo tempo, o São Paulo voltou a dominar a posse de bola e melhorou, com as entradas de Fernandinho e Rodrigo Caio. Aos 2 minutos, a primeira chance: Lucas fez boa jogada pela intermediária, passou pelos marcadores e bateu com perigo, de fora da área.

Aos 4, o time da casa chegou de novo. Após falta da direita, Paulo Miranda tocou com perigo. No lance seguinte, resposta santista: Alan Kardec bateu fraco de fora da área. Mesmo assim, Dênis não conseguiu segurar e rebateu para o meio. Neymar vinha em velocidade e, atrapalhado por Rodrigo Caio, bateu na trave.

Neste ritmo acelerado e com oportunidades de ambos os lados se dava a partida. O São Paulo quase diminuiu, aos 9 minutos, em lance que Maranhão tocou contra o próprio gol. No lance Rafael voltou a sentir e saiu para a entrada de Aranha.

Aos 12, o Santos teve um gol anulado de forma polêmica. Elano cruzou da direita e, após escorada de cabeça, Alan Kardec empurrou para o gol. Mas o árbitro Paulo César de Oliveira marcou falta de Edu Dracena no lance.

A partir daí, o personagem da partida passou a ser Willian José. Aos 13 minutos, ele perdeu grande chance ao chutar por cima depois de grande jogada de Lucas. Aos 15, Rodrigo Caio cruzou pela direita, o atacante se antecipou e, de carrinho, acertou a trave.

De tanto insistir, Willian José deixou sua marca. Aos 18 minutos, Casemiro recebeu pela meia direita e deu ótimo passe para o atacante, que estava em posição irregular, não marcada pelo auxiliar. Ele dominou, tirou a marcação da jogada e bateu cruzado de esquerda, sem chance para Aranha.

O gol incendiou o Morumbi e a equipe são-paulina quase conseguiu o empate apenas dois minutos depois, em cobrança de falta de Cícero que exigiu grande defesa de Aranha.

Quando o São Paulo ia com tudo para cima, com a entrada de Osvaldo no lugar de Casemiro, o Santos chegou ao terceiro gol em uma infelicidade de Dênis. Léo tocou para Neymar, que girou sobre a marcação e bateu de fora da área, no meio do gol. O goleio são-paulino tentou defender, mas espalmou contra o próprio gol. Cícero ainda foi expulso pouco depois e acabou de vez com as chances de reação dos mandantes.

FICHA TÉCNICA:

SÃO PAULO 1 X 3 SANTOS

SÃO PAULO - Dênis; Piris (Rodrigo Caio), Paulo Miranda, Rhodolfo e Cortez; Denilson, Casemiro (Osvaldo), Cícero e Jadson (Fernandinho); Lucas e Willian José. Técnico: Emerson Leão.

SANTOS - Rafael (Aranha); Maranhão, Edu Dracena, Durval e Léo; Adriano, Arouca, Elano e Paulo Henrique Ganso; Neymar e Alan Kardec (Rentería). Técnico: Muricy Ramalho.

GOLS - Neymar, aos 3 e aos 31 minutos do primeiro tempo. Willian José, aos 18, e Neymar, aos 32 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Paulo César de Oliveira.

CARTÕES AMARELOS - Paulo Miranda, Maranhão, Piris, Cícero, Rodrigo Caio, Aranha.

CARTÃO VERMELHO - Cícero.

RENDA - R$ 2.033.374,00.

PÚBLICO - 47.771 pagantes.

LOCAL - Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP). 

RESUMO DO MINUTO A MINUTO

SEGUNDO TEMPO

Resumo - O São Paulo voltou a pressionar e a ter as melhores chances de gols neste segundo tempo. Fernandinho entrou e colocou fogo na partida. Leão, depois, também mandou a campo outro atacante, Oswaldo. E não tirou nenhum. Mesmo assim, o time não fez os gols que precisava. Diminuiu para 2 a 1 com Willian José, em posição irregular, mas não teve força para empatar. Neymar ainda faria o terceiro do Santos, e dele na partida, após falha do goleiro Denis. O Santos vai para mais uma final de Paulistão, a quarta seguida: de 2009 a 2012.    

49'00 - Acabou. O Santos ganha por 3 a 1 e vai para a final do Paulistão. Neymar e seus companheiros fazem a festa no Morumbi junto com sua torcida.

45'00 - Rodrigo Caio leva amarelo por falta em Neymar, que voa para não ser atingido. Os jogadores do Santos pressionam o são-paulino. O juiz dá 4 minutos de acréscimo.

43'00 - A torcida do Santos grita 'Eliminado! Eliminido!'

38'00 - Cícero foi expulso. Fez falta em Neymar. Ele já tinha amarelo. O Santos trocou Alan Kardec por Renteria. Leão pede para a torcida do Santos se agitar. Com esse resultado, 3 a 1, o Santos vai para mais uma final de Paulistão, a quarta consecutiva: 2009/2010/2011 e 2012. Perdeu em 2009 para o Corinthians e ganhou as outras duas. Confirmando a vaga, o Santos vai enfrentar o vencedor de Guarani e Ponte Preta.

32'00 - GOL DO SANTOS: 3 A 1 - Neymar de novo. Ele chuta de longe e marca o terceiro. Denis falha. O goleiro vai com a mão mole na bola e a deixa passar. Infelicidade pura. Neymar agradece e vai para a dancinha. Marca seu 16ª gol no Paulistão, sendo agora o artilheiro da competição.

31'00 - Leão faz a última mudança: coloca Oswaldo no lugar de Casemiro. Dessa forma, o São Paulo fica com quatro atacante: Lucas, Willian José, Fernandinho e Oswaldo. O time precisa do empate para não ser eliminado no tempo normal. Se empatar, a decisão vai para os pênaltis.

30'00 - O Santos sente o cansaço físico provocado pela viagem e jogo no meio da semana contra o Bolívar pela Copa Libertadores. O time ataca menos, corre menos. O único que parece não sentir o desgaste é Neymar, que continua brigando pela bola.

27'00 -  O juiz sofre pressão. Aranha solta bola em escanteio e assusta a torcida do Santos.

23'00 - Leão cobra do juiz pênalti não dado em cima de Fernandinho. E a torcida do São Paulo vai com ele. Fernandinho entrou bem. Ele tem feito as principais jogadas do time pela esquerda. E tenta os arremates de longe, como quer Leão. Os dois técnicos acompanham o jogo na beira do gramado. Tensos.

21'00 - Cícero cobra falta e Aranha faz boa defesa. O São Paulo não tem outra saída a não ser ir para cima do Santos. Precisa empatar para continuar na briga por uma vaga na final do Paulistão. Se empatar, a decisão vai para os pênaltis.

18'00 - GOL DO SÃO PAULO: 2 a 1. De Willian José. O atacante do São Paulo, no entanto, estava em posição de impedimento, um pouquinho à frente. O bandeira nem o árbitro não viram.  

15'00 - Willian José manda a bola na trave. O São Paulo pressiona. O Santos espera para sair em velocidade. O Lucas joga melhor nesse segundo tempo. Só precisa de uma boa jogada individual para furar a defesa do Santos, que até agora está muito bem postada.

13'00 - Alan Kardec faz o terceiro do Santos. O bandeira corre para o meio de campo, mas o árbitro Paulo César de Oliveira anula o gol. Na sequência, o São Paulo vai para cima. Lucas chuta, Aranha espalma. No rebote, Willian José manda para fora. Mais uma chance perdida pelo São Paulo.

11'00 - Maranhão cabeceia para escanteio e pega Rafael no contrapé. O goleiro se machuca de novo e pede para sair. Muricy manda a campo o segundo goleiro do Santos, o grandão Aranha.

09'00 - Neymar passa alguns minutos sendo atendido do lado de fora após chega-pra-lá de Rodrigo Caio. Tudo bem com o atacante da Vila.

04'00 - O São Paulo desperdiça gol feito. Cícero toca na bola, mas ela vai para fora. Na sequência, 1 minuto depois, Neymar acerta a trave do goleiro do São Paulo. Muricy e o próprio Neymar se lamentam. Alan Kardec chuta e Denis rebate. Neymar chega, mas é atrapalhado por Rodrigo Caio.

03'00 - Fernandinho vai dar mais poder de fogo ao São Paulo, aberto pela ponta esquerda. A entrada de Rodrigo Caio se deu por precaução. Piris, já pendurado com cartão amarelo, continuaria marcando Neymar e poderia deixar o São Paulo com um jogador a menos.

00'00 - Começou...

INTERVALO

Detalhe - Com os dois gols marcados no Morumbi, Neymar chega a 101 com a camisa do Santos. Ele então se iguala a Juary como um dos maiores artilheiros do time após a aposentadoria de Pelé. Os dois da frente, com 104 gols, são Serginho Chulapa e João Paulo. Em breve, possivelmente ainda nesta temporada se mantiver o ritmo, Neymar se transformará no maior goleador do Santos após a era Pelé. 

Mudanças - Santos volta com a mesma formação do primeiro tempo. O goleiro Rafael, que ameçou deixar a partida por causa de dores no joelho direito, continua em campo para o segundo tempo. No São Paulo, o técnico Emerson Leão faz uma modificação: tira Jadson e manda a campo Fernandinho. Rodrigo Caio também entra no lugar de Piris.     

PRIMEIRO TEMPO - MINUTO A MINUTO

Resumo - O Santos teve duas chances e aproveitou ambas, uma delas de pênalti, que Neymar cobrou e fez seu 100 gol no time. O atacante também marcou o segundo, após bom passe de Ganso. A vitória parcial do Santos não significa que houve um passeio do time de Muricy Ramalho no primeiro tempo. Longe disso. O São Paulo jogou bem também, criou mais oportunidade e teve a bola em seus pés. Seu meio de campo tocou boas bolas, e em velocidade. Deu trabalho para a defesa santista. Só não conseguiu ser perfeito nas finalizações.

49'00 - Neymar domina no peito e chuta em curva para boa defesa do goleiro do São Paulo, Denis. Acabou. O Santos ganha o jogo por 2 a 0.

45'00 - Paulo César de Oliveira deu 4 minutos de acréscimo.

42'00 - O São Paulo sofreu dois gols, mas não joga mal. O primeiro gol foi de pênalti após carrinho de Paulo Miranda em Alan Kardec. O zagueiro foi errado para a bola. Isso foi com 1 minuto de jogo. O segundo gol do Santos aconteceu em jogada rápida e bom lançamento de Ganso para Neymar. Mais mérito do time de Muricy que erro da defesa de Leão. O jogo continua disputado. O São Paulo precisa de um gol neste fim de primeiro tempo para entrar na partida.

 

39'00 - O jogo tem 15 faltas. Dez delas foram feitas pelos jogadores do São Paulo.   38'00 - Piris recebe amarelo porque fez falta dura em Neymar. É briga antiga. Neymar dá uma sequência de cinco dribles no marcador são-paulino, que apela. Neymar toma uma dura dos rivais por causa das 'gracinhas'. O atacante do Santos faz o seu jogo.

31'00 - GOL DO SANTOS: 2 A 0 - Neymar de novo. Ganso toca na medida, o atacante ganha de Paulo Miranda e toca para marcar seu segundo gol na partida. Ele comemora na bandeira do escanteio, lembrando Juary. Neymar marca seu 15 gol no Paulistão. Era o risco que o São Paulo corria ao se lançar para o ataque. Deu azar porque a bola que sobrou no meio de campo caiu nos pés de Ganso, que tocou rapidamente para Neymar invadir e marcar.

28'00 - O São Paulo tem facilidade para tocar a bola no meio de campo, e vai envolvendo a marcação do Santos. A defesa do Santos corta como pode. Willian José dá trabalho com sua movimentação. O Santos perdeu espaço.  

22'00 - O Santos tem o contra-ataque para explorar. E faz isso bem pela esquerda, com Neymar. É uma situação perigosa para o São Paulo. O jogo é bonito. O São Paulo também é perigoso pela esquerda, toca bem a bola. Casemiro vai aparecendo bem no jogo, domina as jogadas ofensivas no setor. Casemiro chuta e a bola raspa a trave. São Paulo melhor nesse momento. Foi a quinta finalização dos donos da casa.

16'00 - O São Paulo pressiona. O time teve duas chances, uma delas parou nas mãos do goleiro do Santos. Leão pediu para que seus jogadores chutassem de longe. Na sequência da jogada do ataque do São Paulo, o goleiro Rafael se machucou. O problema é no joelho direito. Muricy aguarda decisão do seu jogador para fazer a troca. Rafael pede mais tempo e cobra o tiro de meta. Leão reclama da demora para repor a bola em jogo.

11'00 - Paulo Miranda acerta a trave do goleiro Rafael, que não saiu bem na conbrança do escanteio. O lance do São Paulo levantou a torcida. Paulo Miranda poderia ter se redimido do pênalti feito no primeiro minuto de jogo.

09'00 - O Santos não muda sua forma de atacar, embora possa agora esperar um pouco mais o São Paulo em seu campo para sair em velocidade. A bola, como se esperava, está mais nos pés do São Paulo. Lucas ainda escondido na direita. O São Paulo tenta entrar na defesa do Santos, que se posiciona bem.

03'00 - GOL DO SANTOS: 1 A 0. Neymar fez o 100 gol dele com a camisa do Santos, e seu 118º na carreira. Também foi o gol de número 14 do atacante neste Paulistão. Firme, Neymar chutou forte no meio do gol. 

02'00 - PÊNALTI de Paulo Miranda em Alan Kardec. O Santos tem a chance de abrir o marcador.

01'00 - Muricy mudou a formação pensando em dar mais estatura ao Santos principalmente na defesa, quando o São Paulo lançar bolas na área. Tirou Borges e escalou Alan Kardec. O Santos deu a saída. Piris está encarregado de parar Neymar, que começa atacante pela esquerda. Leão tirou Fernandinho e colocou Willian José.

PRÉ-JOGO

Toda a torcida é do São Paulo no Morumbi. A FPF colocou à disposição 62 mil ingressos. O Santos ficou com apenas 5%, cerca de 3.200 torcedores. O São Paulo já está no gramado. O Santos sobe agora. Edu Dracena deu as últimas orientações aos seus companheiros. O time está usando sua camisa azul. Chove no Morumbi. O juiz da FPF é Paulo César de Oliveira.

FRASE DE LEÃO: "É um clássico e por isso é diferente. O clássico diferencia o menino dos homens."

FRASE DE MURICY: "O São Paulo tem na bola parada sua força. E nós temos um time baixo. O gramado molhado é igual para os dois. O Santos já está descansado."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.