Arte|Estadão
Arte|Estadão

Em alta, Neymar busca 100º gol pelo Barcelona

Atrás de Evaristo e Rivaldo, atacante é o terceiro brasileiro na lista de goleadores do clube catalão

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

19 de março de 2017 | 09h00

Quatro dias depois de reduzir sua dívida com a Receita Federal brasileira – a decisão do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) diminuirá entre 50% e 70% dos R$ 188,8 milhões de multas e impostos devidos –, Neymar pode se valorizar ainda mais como craque do Barcelona. Agora, dentro de campo. Com 99 gols, ele tem boas chances de alcançar a marca centenária hoje, diante do Valencia, no Camp Nou.

Para o Barcelona, o gol virou uma necessidade depois que o Real Madrid venceu o Bilbao por 2 a 1 fora de casa, neste sábado, abrindo cinco pontos (65 a 60) na liderança do Campeonato Espanhol. 

O gol 100 reaviva a discussão sobre o lugar que Neymar ocupa entre os grandes brasileiros que passaram pela Catalunha. Pelo total de gols, ele está em terceiro lugar, atrás da lenda Evaristo de Macedo (178), ídolo nos anos 1950 e 1960, e de Rivaldo (136), goleador dos anos 1990 e 2000. Por outro lado, já ultrapassou Ronaldinho (94), Romário (53) e Ronaldo (47). “Ele já está no mesmo nível de Cristiano Ronaldo e Messi. É questão de tempo para ganhar a Bola de Ouro”, opinou Ronaldinho Gaúcho na quinta-feira em Dubai.

Evaristo afirmou que torce para que Neymar o ultrapasse. “Pela qualidade, por ser muito jovem ainda e porque os times europeus jogam muito mais vezes do que nós jogávamos. A possibilidade de ele me passar é grande”, diz o ex-jogador. Em entrevista recente ao Estado, Ronaldo evitou comentar o lugar de Neymar na história, mas declarou: “Ele está fazendo o Brasil sonhar de novo. Eu acredito nele”.

Na Espanha, Neymar é visto como o sucessor de Messi, principalmente depois da atuação de gala na Liga dos Campeões, quando fez dois gols e deu uma assistência nos três minutos finais contra o PSG. O time francês é uma das maiores vítimas de Neymar – já foram sete gols sofridos. Athletic Bilbao e Villarreal tomaram oito. Neymar também é elogiado como garçom por causa das 55 assistências que já deu.

Os 99 gols do brasileiro, no entanto, revelam uma deficiência de formação: Neymar faz poucos gols de cabeça. Foram apenas seis até hoje. Outro “porém” é o baixo aproveitamento em chutes de longe. O camisa 11 só tem três gols de fora da área.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.