Neymar cairá mais pela esquerda contra a seleção chilena

Felipão quer que atacante atraia a marcação e permita investidas inesperadas de Fernandinho

Luiz Antônio Prósperi - Enviado especial a Belo Horizonte, O Estado de S. Paulo

28 de junho de 2014 | 10h42

Neymar sofrerá uma marcação especial hoje no Mineirão, prometem os chilenos. Felipão tem essa ideia clara na cabeça e algumas artimanhas para livrar o craque das amarras do adversário. Uma delas: atrair parte da defesa do Chile para o setor esquerdo, por onde Neymar deve transitar, e abrir assim espaços no meio para as investidas de surpresa de Fernandinho.

Pode não ser a melhor alternativa, mas Felipão tem planos para não sobrecarregar o craque no jogo apontado como decisivo para o Brasil provar mesmo que é o favorito ao título.

A preocupação do treinador com o jogador também extrapola o fator campo. Em todas as entrevistas sempre é questionado a respeito de Neymar, até mesmo sobre assuntos fora da Copa do Mundo e da seleção brasileira. Ontem, no Mineirão, questionaram o que Felipão teria a dizer do craque ter entrado na Justiça pedindo para recolher exemplares da última edição da revista Playboy - a publicação mencionava um suposto affair dele com uma modelo.

"Playboy? Não é comigo, meu filho! É com o Thiago Silva. Estou velho para isso", respondeu Felipão para deleite dos jornalistas acotovelados na sala de imprensa do Mineirão.

Antes de Thiago, que estava a seu lado na entrevista coletiva, entrar na história, o treinador fez questão de elogiar mais uma vez o atacante do Barcelona. "Não conheço tão bem o Neymar fora da seleção. Tenho conversado com o seu pai e pelo que sinto no ambiente deles (jogadores) é um menino do bem e muito do bem. É participativo e nas discussões táticas dá os seus palpites."

Thiago Silva entrou na conversa e, claro, despejou elogios ao companheiro. "Conheço o Neymar no dia a dia muito mais que o Felipão. Quando ele ficou afastado do Barcelona por contusão (fratura no metatarso), conversamos um bom tempo. Fiquei impressionado com a sua vontade de jogar, ajudar a seleção. Quando ele voltou no amistoso contra o Panamá (em Goiânia), fiquei assustado com o que ele jogou, Nem parecia que ele estava voltando a jogar. Esse é o Neymar."

Aos elogios de Thiago ao craque se junta a curiosidade dos jornalistas estrangeiros: dentro da seleção Neymar é melhor que Messi? "A minha opinião sobre esse assunto eu já tenho, mas só vou dar daqui uns 15 anos. Agora, não", respondeu Felipão. O treinador não revelou sua preferência por um detalhe: não era hora de fazer uma comparação entre dois craques. Neymar ainda tem história para contar hoje no Mineirão, espera Felipão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.