Wilton Júnior/Estadão
Wilton Júnior/Estadão

Neymar celebra volta com gol, mas admite 'um certo medo' pela lesão

Atacante retorna aos gramados após três meses e revela que ainda não sente confiança total em campo

O Estado de S.Paulo

03 Junho 2018 | 15h58

Depois de mais de três meses sem jogar por causa da fratura no quinto metatarso do pé direito, sofrida no final de fevereiro em partida pelo Paris Saint-Germain, Neymar celebrou neste domingo o seu retorno positivo aos gramados. O atacante atuou no segundo tempo do amistoso contra a Croácia e abriu o placar da vitória por 2 a 0 com um golaço no estádio Anfield Road, em Liverpool.

+ Thiago Silva comemora atuação e retomada de espaço da seleção brasileira

+ Gabriel Jesus vê briga 'sadia' com Firmino por vaga e festeja volta de Neymar

+ Neymar voltar, marca e Brasil derrota a Croácia em amistoso

+ Tudo sobre a Copa do Mundo 2018!

Curiosamente, o gol ocorreu exatos três meses depois de o jogador ter sido submetido a uma cirurgia, em Belo Horizonte, para correção da fratura que sofreu. Após balançar as redes, por sinal, o astro fez questão de abraçar o médico da seleção brasileira, Rodrigo Lasmar, responsável pela operação realizada em Minas Gerais.

"Hoje faz três meses da lesão (da cirurgia). Retornar para fazer o que eu mais amo, que é jogar com futebol, e ainda com gol, é uma felicidade muito grande", ressaltou Neymar, em concorrida entrevista coletiva na zona mista do estádio do Liverpool. "Fiquei muito contente, fiquei muito feliz, só lembrava das pessoas que me ajudaram."

O atleta, porém, admitiu que ainda não está totalmente despreocupado com a lesão no seu pé direito. "Ainda tenho certo receio, tenho um certo medo, mas isso é pouco a pouco. A cada treinamento vou perdendo o medo e me soltando mais", reforçou.

Neymar também admitiu que gostaria de atuar desde o início o amistoso contra a Áustria, no próximo domingo, em Viena, palco do último teste do Brasil antes do Mundial, mas preferiu não projetar este objetivo com pressa, pois sabe que está superando aos poucos os obstáculos de sua longa recuperação.

"Vamos ver como serão os treinamentos da semana. Pouco a pouco vou melhorando. Estou feliz por hoje. Ainda sinto alguns incômodos, mas são normais por ter ficado muito tempo sem pisar (no chão). Estou 80%", avisou o atacante.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.