Anne-Christine Poujoulat/AFP
Anne-Christine Poujoulat/AFP

Neymar chega à China e inicia pré-temporada com o Paris Saint-Germain

Atacante estava de férias no Brasil até o fim do mês de julho após a participação na Copa do Mundo

O Estado de S.Paulo

02 Agosto 2018 | 09h16

O Paris Saint-Germain já está reforçado de seu principal jogador para a sequência de treinos para a temporada 2018/2019 do futebol europeu. Neymar chegou à China nesta quinta-feira e iniciará seus atividades para se integrar ao grupo do atual campeão francês.

+ Ao lado dos 'parças', Neymar viaja para se reunir com o elenco do PSG

+ Comercial com Neymar gera polêmica e divide mercado publicitário

+ Na França, vídeo publicado sobre Neymar é considerado 'surrealista'

O clube parisiense divulgou um vídeo e mais imagens da chegada do jogador, que esteve com a seleção brasileira até o início do mês de junho durante a participação na Copa do Mundo da Rússia - o Brasil caiu nas quartas de final diante da Bélgica. Assim, ele recebeu mais dias de folga em comparação com o restante do elenco.

 


Na última quarta-feira, o atacante publicou nas redes sociais uma foto ao lado de dois amigos já no avião, enquanto viajava para o país asiático. Ele desembarcou em Shenzhen, onde o elenco treina para disputar a Supercopa da França contra o Monaco neste sábado (4), às 9h (de Brasília).

O técnico Thomas Tuchel, que inicia seu trabalho nesta temporada após a saída de Unai Emery, afirmou na última segunda-feira que aguardava a chegada do brasileiro para que ele trabalhe 'desde o primeiro dia'. Em meio a esse momento, o atacante tenta recuperar a sua imagem após críticas recebidas com a divulgação de um vídeo publicitário onde ele dizia se redimir da queda com a seleção na Copa.

A temporada do Campeonato Francês começa no próximo dia 12. Neymar, por sua vez, não veste a camisa do PSG desde fevereiro, quando sofreu uma fratura no quinto metatarso do pé direito que quase colocou em risco a sua participação no Mundial da Rússia deste ano.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.