Divulgação
Divulgação

Neymar assume o comando do Barcelona na Liga dos Campeões

Presença do craque contra o BATE cria expectativa em Borisov

O Estado de S.Paulo

20 de outubro de 2015 | 07h00

A expectativa é grande em Borisov, cidade de cerca de 180 mil habitantes na Bielo-Rússia. O Barcelona estará por lá nesta terça-feira para enfrentar o BATE pela Liga dos Campeões. Sem Messi, mas com Neymar. E depois do show que o brasileiro que na vitória do time por 5 a 2 sobre o Rayo Vallecano pelo Campeonato Espanhol, espera-se outra atuação de gala do craque, desta vez no Leste Europeu.

Neymar está em alta após reagir aos dias turbulentos que andou, e anda, vivendo, com uma atuação que definiu como uma de “suas melhores partidas’’ na carreira. Contra o Rayo, ele deixou de lado os problemas com o fisco espanhol, o pedido do Santos à Fifa para que seja suspenso por suposta irregularidade em sua ida para o Barça, a negociação para renovar contrato, a ausência na seleção brasileira... Também superou as críticas dos espanhóis por, até então, não estar comandando o Barcelona na ausência de Messi. Fez quatro gols, grandes jogadas e deixou muita gente na Espanha e no mundo de boca aberta.

Em Borisov, o Barça conta com Neymar para se consolidar na liderança do Grupo E. Os catalães têm 4 pontos, contra 3 do BATE e do Bayer Leverkusen alemão, que recebe a Roma (1). Ainda assim, o técnico Luís Henrique, que no ´último sábado definiu a atuação do brasileiro como “impressionante’’, procura tirar a pressão dos ombros de Neymar. “Tentamos trabalhar como equipe. Temos nosso líder, Leo Messi, e não buscamos líderes constantemente’’, disse nesta segunda-feira, na chegada a Borisov.

Mas os jogadores pensam um pouco diferente do treinador. O volante Busquets não nega a grande importância de Messi. No entanto, confia na liderança a ser exercida por Neymar. "O sistema é o mesmo e todos nós temos de contribuir um pouco mais, mas é impossível não sentir a ausência de Messi. Ele é o que marca mais gols e faz mais assistências", disse Busquets. "Mas Neymar também é um líder por seu estilo de jogo e o que ele traz para a equipe. Quando ele está em forma, tem um grande impacto e esperamos que sua boa fase continue, agora que Messi não pode estar conosco."

Outro brasileiro sobre o qual há grande expectativa hoje é Douglas Costa, em grande fase no Bayern de Munique. O time alemão, 6 pontos no Grupo F, vai a Londres enfrentar o Arsenal (0) e o atacante está escalado pelo técnico Guardiola. Pelo Grupo H, Hulk completa 150 jogos pelo Zenit russo (6 pontos) nesta terça-feira, no jogo contra o Lyon (1). “É sempre um número legal. Estou me aproximando dos números do Porto’’, disse o atacante.

Se vencer, o Zenit vai conseguir, pela primeira vez na Liga dos Campeões, chegar a três vitórias seguidas. “É um jogo importante para nós. Nunca vencemos três seguidas e, vencendo, nos aproximamos da classificação’’, acrescentou Hulk.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.