Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE
Ricardo Saibun/Divulgação
Ricardo Saibun/Divulgação

Neymar critica polêmica sobre torcida na final: 'Eu era palmeirense, mas me apaixonei pelo Santos'

Atacante cita 'mimimi' e afirma que se tornou santista aos 12 anos após chegar às categorias de base do clube

Redação, O Estado de S.Paulo

28 de janeiro de 2021 | 14h25

O atacante Neymar, do Paris Saint-Germain, se explicou no Twitter nesta quinta-feira sobre uma polêmica que envolve a final da Copa Libertadores. A decisão será disputada no próximo sábado entre Santos e Palmeiras. O jogador admitiu que na infância era torcedor do time alviverde, mas se tornou santista depois de chegar ao clube da Vila Belmiro aos 12 anos para iniciar a carreira.

A explicação de Neymar veio após uma polêmica nas redes sociais pelo passado palmeirense do camisa 10. Alguns internautas criticaram a aparição dele em um vídeo publicado pelo Santos com mensagens de apoio antes da final e questionaram sobre qual era o verdadeiro time preferido do jogador. Para encerrar o assunto, o camisa 10 do PSG publicou duas mensagens no Twitter sobre a questão.

"Vamos de sinceridade. Galera do 'mimimi' preocupado com meu vídeo enviado ao Santos, falando que eu era palmeirense", escreveu o jogador. "Eu era (palmeirense)...até eu ir para o Santos com 12 anos. Depois daí me apaixonei pelo Santos e virei muito fã do Robinho. Santos me deu a oportunidade deu estar onde estou, sempre serei grato!", completou Neymar.  

O camisa 10 estreou pelo time principal do Santos em 2009 e permaneceu no clube até 2013, quando se transferiu para o Barcelona. Ao longo da campanha do Santos nesta Libertadores o atacante publicou várias mensagens de apoio e de comemoração a cada vitória obtida pelo time. A final do torneio será disputada no sábado, às 17h, no estádio do Maracanã.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.