Jeon Heon-Kyun/EFE
Jeon Heon-Kyun/EFE

Neymar destaca vitória brasileira em jogo de 'superação'

David Luiz elogia postura do time e avalia amistoso como 'muito válido'

Agência Estado

12 de outubro de 2013 | 10h21

SEUL - Autor de um dos gols da vitória do Brasil - Oscar fez o outro -, Neymar destacou as dificuldades para ganhar por 2 a 0 da Coreia do Sul, em amistoso disputado neste sábado em Seul. Segundo ele, a seleção brasileira fez um jogo de "superação", por causa do cansaço da viagem até a Ásia e da falta de adaptação ao fuso horário.

O técnico Luiz Felipe Scolari reuniu o grupo na segunda-feira em Seul. Depois de uma longa e cansativa viagem, chegou a cancelar o primeiro treino que aconteceria na capital sul-coreana. Além disso, os jogadores da seleção reclamaram durante toda a semana das dificuldades para se adaptar à enorme diferença de fuso horário.

"A equipe está de parabéns pela superação, com um fuso horário muito grande e o pouco tempo que a gente está aqui. O grupo todo está de parabéns. Todo mundo que entrou jogou bem", elogiou Neymar, um dos líderes da seleção brasileira, que teve papel decisivo na vitória - abriu o placar em cobrança de falta no primeiro tempo. Em entrevista à TV Globo, ainda na saída do gramado, Neymar também comentou sobre a grande quantidade de faltas que sofreu no amistoso - foram 12. "Virou parte da rotina (sofrer faltas). É um amigo que levo comigo", brincou o atacante, que minimizou o caso. "Está tranquilo, faz parte do jogo. Só não gosto que seja desleal."

Para o zagueiro David Luiz, que foi o capitão na ausência de Thiago Silva, o amistoso deste sábado foi "muito válido" na preparação do Brasil para a disputa da Copa de 2014. Ele ressaltou que a Coreia do Sul "joga com muita intensidade e já está qualificada para o Mundial". "São jogos assim que a gente vai enfrentar. A equipe foi madura, soube vencer", avaliou o jogador, em entrevista ao SporTV na saída do gramado do estádio em Seul.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.