Neymar é absolvido e Santos ataca Cruzeiro com trio

Neymar e Marcel foram julgados e absolvidos por maioria de votos, nesta sexta-feira, pela Quarta Comissão Disciplinar do Superior Tribunal de Justiça Desportiva, e vão formar o trio de ataque do Santos contra o Cruzeiro, neste sábado, às 18h30, na Arena Barueri, pela 25ª. rodada do Campeonato Brasileiro.

SANCHES FILHO, Agência Estado

25 de setembro de 2010 | 08h33

O garoto Neymar, denunciado em dois artigos do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, por ter ameaçado agredir o volante João Marcos, após o jogo contra o Ceará, corria o risco de ser suspenso por até sete jogos, mas apenas ouviu advertências e conselhos dos integrantes da Comissão.

Quatro horas antes do início do julgamento no STJD, o técnico interino Marcelo Martelotte anunciou a escalação do time com três atacantes - Zé Eduardo, Marcel e Neymar.

Edu Dracena volta à zaga no lugar de Bruno Aguiar, que além de ser reserva, contundiu-se diante do Corinthians e foi cortado até do banco de reservas. Com a ausência de Pará, suspenso, Martelotte recoloca Danilo na sua posição de origem, a lateral direita, mantém Léo na esquerda e tira Alex Sandro do time para formar o meio-de-campo com dois volantes: Roberto Brum, que ficará na proteção à zaga, e Arouca, que terá pouco mais de liberdade para apoiar.

Para compensar a escalação de apenas um armador (Marquinhos), Martelotte optou pela volta de Zé Eduardo, com dupla função. "O Zé é um jogador de frente, mas tem condição de voltar e ajudar na marcação pelos lados. Considero mais interessante a sua escalação do que a de mais um meia, porque um terceiro atacante causa maior preocupação no adversário. E também porque acredito no potencial desse jogador", justificou o técnico.

A 12 pontos do líder Corinthians (35 e 47), o Santos precisa da vitória para continuar sonhando com a remota possibilidade de ganhar também o Campeonato Brasileiro, depois de ter se sagrado campeão paulista e da Copa do Brasil. Como já estão classificados para a Copa Libertadores da América de 2011, aos santistas apenas o título da competição interessa. Mas a diferença não desanima Martelotte. "Estamos na briga. Ainda faltam 15 jogos para o fim do Brasileiro e o número de pontos (45) em disputa mostra que o título está em aberto", ponderou o interino.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCampeonato BrasileiroSantos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.