Ueslei Marcelino/Reuters
Ueslei Marcelino/Reuters

Neymar e Messi são mais caros que 7 times da Copa América

Juntos, craques do Barcelona são avaliados em R$ 700 milhões

O Estado de S. Paulo

11 de junho de 2015 | 17h36

A Copa América começa nesta quinta-feira, com Chile e Equador no Estádio Nacional, em Santiago. Antes de a bola rolar, esta edição do torneio promete ser uma das mais equilibradas dos últimos anos, com craques espalhados por diversas seleções. Por outro lado, se for analisar apenas o valor de mercado de cada plantel, Argentina e Brasil ganham de lavada.

Segundo site Transfermarkt, o selecionado de Tata Martino custa R$ 1,7 bilhão, e o de Dunga, R$ 1,4 bilhão Juntas, as cotações dos times albiceleste e canarinho são superiores à soma do restante dos outros dez participantes da Copa América: R$ 3,2 bilhões contra R$ 2,959 bilhões.

Abaixo dos rivais, a Colômbia é o terceiro time mais valioso, liderado por James Rodríguez e Falcao García, com R$ 914 milhões. Logo atrás estão os anfitriões chilenos, com R$ 622 milhões, e os uruguaios, estipulados em R$ 581 milhões. Todos candidatos a dar muito trabalho para a seleção brasileira de Dunga.

Os times mais baratos são os da Jamaica e Bolívia, que não chegam a R$ 50 milhões cada grupo. Contando os valores individuais, MessiNeymar, Di María e James Rodríguez, sozinhos, são superiores a sete seleções desta Copa América, de acordo com o site especializado. Somados, os valores de mercado dos dois craques do Barcelona só não ultrapassam Argentina, Brasil e Colômbia. 

ELENCOS MAIS VALIOSOS DA COPA AMÉRICA

1 - Argentina - R$ 1.746 bilhão

2 - Brasil - R$ 1.484 bilhão

3 - Colômbia - R$ 914 milhões

4 - Chile - R$ 622 milhões

5 - Uruguai - R$ 581 milhões

6 - Equador - R$ 183 milhões

7 - Peru - R$ 169 milhões

8 - México - R$ 164 milhões

9 - Venezuela - R$ 134 milhões

10 - Paraguai - R$ 118 milhões

11 - Jamaica  - R$ 48 milhões

12 - Bolívia - R$ 26 milhões

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.