Albert Gea / Reuters
Albert Gea / Reuters

Neymar e Messi se unem contra a fome na América Latina e no Caribe

Craques irão participar de ações de marketing ao lado de agência das Nações Unidas e de operadora de cartão de crédito

Estadão Conteúdo

11 de abril de 2018 | 08h30

Neymar e Messi se somaram nesta terça-feira a uma campanha educativa e de arrecadação de fundos que busca combater a fome e a desnutrição infantil na América Latina e no Caribe impulsionada pela Mastercard.

+ Entre os campeões, camisa do Brasil é a que mais pesa no bolso do torcedor

+ Moisés recebe Neymar e Lucas Lima em sua casa para partidas de pôquer

+ Candidatura tripla conta com Messi para sediar Copa de 2030

Trata-se de um movimento através das redes sociais para promover e aprender mais sobre o Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas (PMA), afirmou a multinacional em comunicado.

"Para as crianças da América Latina e do mundo, uma refeição nutritiva diária melhoria a saúde e o desenvolvimento cognitivo", declarou Miguel Barreto, diretor regional do PMA para América Latina e Caribe, na nota de imprensa.

Ambos embaixadores serão os encarregados de "inspirar e mobilizar diferentes gerações" através das redes sociais e, por cada uso da hashtag #JuntosSomos10, a Mastercard doará o valor de uma refeição ao PMA.

A companhia de pagamentos também doará o equivalente da dez refeições adicionais por cada doação realizada com um cartão Mastercard ao PMA.

Neymar e Messi assinaram um contrato de dois anos para impulsionar a campanha através de uma série de esforços de marketing. A ideia é ajudar as crianças da América Latina e do Caribe a "alcançar seu máximo potencial através do poder de uma refeição", destacou Ana Ferrell, diretora da Mastercard na região.

"#JuntosSomos10 servirá como uma lembrança que a cada dia todos temos o poder de criar memórias, empreender uma paixão, fazer a diferença e até iniciar um movimento social", concluiu a Mastercard. / EFE

Tudo o que sabemos sobre:
futebolNeymarMessi

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.