Curto de la Torre/AFP
Curto de la Torre/AFP

Neymar e Suárez brilham, Barcelona dá show e goleia o Real

Catalães dão aula de futebol no Santiago Bernabéu e fazem 4 a 0

Estadão Conteúdo

21 de novembro de 2015 | 17h13

Quem acompanhou o clássico entre Real Madrid e Barcelona neste sábado viu um verdadeiro passeio dos catalães. Com Luis Suárez e Neymar em estado de graça, os comandados de Luis Enrique ignoraram o fato de estarem no Santiago Bernabéu, controlaram a partida por 90 minutos e nem precisaram de Lionel Messi, que só entraria no segundo tempo, para golear o maior rival por 4 a 0, pelo Campeonato Espanhol.

Neymar marcou o seu e deu assistência para o gol de Iniesta. Um golaço, aliás. Suárez fez os outros dois e só não marcou mais porque parou em Keylor Navas em diversas oportunidades. O Real até chegou em vezes esporádicas, principalmente no início do segundo tempo, mas a falta de pontaria e o dia inspirado de Cláudio Bravo impediram até o gol de honra dos donos da casa.

Além da alegria natural por uma goleada no clássico, o Barcelona pôde comemorar a disparada na liderança, com 30 pontos, seis de vantagem justamente para o rival Real Madrid. Ambos os clubes agora voltam-se para a Liga dos Campeões. Na terça-feira, o Barça duela com a Roma no Camp Nou. No dia seguinte, é a vez do Real entrar em campo para pegar o Shakhtar Donetsk na Ucrânia.

O jogo deste sábado começou extremamente movimentado, com as duas equipes buscando o ataque dentro de suas características. Cristiano Ronaldo e James Rodríguez controlavam as ações pelo Real, enquanto Neymar e Suárez respondiam do outro lado. Foi justamente do brasileiro a primeira boa chance da partida, aos sete minutos, quando ele recebeu na área e chutou por cima.

Três minutos depois, foi o uruguaio quem teve a oportunidade, e não desperdiçou. Sergi Roberto fez ótima jogada pelo meio de campo, conduziu e abriu na direita para Suárez, que bateu de primeira, com o lado externo do pé, cruzado, sem chance para Navas.

O gol fez o Real desmoronar, e o que se viu a partir daí foi um atropelamento do Barcelona, que virou dono do jogo. Sempre com Neymar e Suárez, a equipe catalã chegava com extrema facilidade ao ataque, mas os erros perto da área rival impediam a criação de grandes oportunidades.

Mesmo dominando, o Barcelona viu o Real quase marcar aos 37, quando Benzema aproveitou uma sucessão de erros da defesa, inclusive de Cláudio Bravo, mas bateu travado. No minuto seguinte, no entanto, Neymar apareceu para ampliar. Ele recebeu de Iniesta em posição irregular, não vista pela arbitragem, e tocou por baixo de Navas, que ainda desviou mas não conseguiu impedir o gol.

Nos acréscimos, o próprio Neymar apareceu para fazer linda jogada pela esquerda e cruzar para Suárez finalizar. Marcelo, em cima da linha, tirou e manteve a esperança de reação do Real. O próprio lateral seria responsável pelo primeiro bom momento da etapa final, quando fez linda jogada individual, saiu de frente pra o gol, mas aí bateu muito mal e jogou para fora.

A conversa de Rafa Benítez com seus jogadores deu certo, porque o Real voltou completamente diferente para o segundo tempo e criou outro bom momento aos três minutos. James Rodríguez bateu firme da meia-lua, mas Bravo voou para espalmar. Na sequência, foi a vez de Bale arriscar de longe, por cima.

Mas o Barcelona era fatal e precisaria de apenas uma ida ao ataque para ampliar. Iniesta tocou para Neymar, que ajeitou de letra de volta para o espanhol. O meia, então, chegou batendo firme, de primeira, da entrada da área, e acertou o ângulo esquerdo de Navas para marcar um lindo gol.

O terceiro gol acabou com as pretensões do Real Madrid, e o Barcelona aproveitou para tentar golear o rival. Luis Enrique colocou Messi em campo e a equipe cresceu. O próprio argentino e Suárez perderam ótimas oportunidades em sequência. Já o time madrilenho pouco chegava, e quando ia à frente parava em Bravo, como aos 24 minutos, quando Bale puxou contra-ataque e encontrou Cristiano Ronaldo na área, mas o chileno fez linda defesa.

Se o Real não marcava, o Barcelona castigava seu rival. Depois de perder nova oportunidade, Suárez fez o quarto aos 29. Messi iniciou a jogada, Alba deu linda enfiada e o uruguaio saiu de frente para Navas. Ele mostrou tranquilidade, esperou o goleiro cair e tocou no canto oposto para transformar a vitória em goleada.

O show catalão definitivamente irritou os madrilenhos, que perderam a cabeça. Principalmente com Neymar. Depois de entrada dura, Carvajal levou amarelo. Aos 39, Isco deu um pontapé no brasileiro e foi expulso. A sorte do Real é que as últimas oportunidades do Barcelona caíram no pé de Munir, que mostrou total falta de faro de artilheiro e perdeu duas chances incríveis antes do apito final.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.