Manu Fernandez|AFP
Manu Fernandez|AFP

Neymar lidera lista de devedores ao Fisco da Espanha: R$ 228 milhões

Atacante do PSG é a pessoa física com o maior débito a ser pago junto ao Tesouro espanhol

Redação, Estadão Conteúdo

30 de setembro de 2020 | 12h04

O atacante Neymar trocou o Barcelona em 2017 pelo Paris Saint-Germain, onde está até hoje,. Deixou para trás também uma dívida com o Fisco espanhol. Nesta quarta-feira, o brasileiro entrou pela primeira vez na lista de inadimplentes da Agência Tributária da Espanha. Em um lista publicada pela entidade em seu site oficial, o brasileiro não pagou até 31 de dezembro de 2019 dívida de 34,6 milhões de euros (R$ 228 milhões na cotação atual) entre tributos e impostos.

Neymar é a pessoa física com maior débito a ser pago junto ao Fisco espanhol. O valor é referente aos quatro anos em que o jogador viveu em Barcelona e também à sua transferência ao Paris Saint-Germain em agosto de 2017.

O Tesouro espanhol estava desde o ano passado investigando a transferência de Neymar para o clube francês e o bônus de renovação acordado com o Barcelona antes de sua saída. Como a transação aconteceu oficialmente em agosto de 2017, o atacante passou mais de 183 dias na cidade da região da Catalunha, ou seja, deveria ter declarado todo o seu rendimento anual normalmente, como residente fiscal na Espanha.

A lista contém nomes de pessoas físicas que, em 31 de dezembro de 2019, tinham dívidas com a administração fiscal superiores a 1 milhão de euros (R$ 6,6 milhões). Os valores atribuídos a Neymar desbancam o empresário Agapito García Sánchez do primeiro lugar entre os mais devedores do país - ele deve cerca de 16 milhões de euros (R$ 105 milhões) ao tesouro.

Outras pessoas conhecidas na lista dos maiores devedores ao Fisco espanhol são a atriz espanhola Paz Vega, com dívida de 2,6 milhões de euros (R$ 17,1 milhões); a apresentadora Patricia Conde, com 1,9 milhão de euros (R$ 12,5 milhões); e o ex-jogador argentino Gabriel Milito, com 1,8 milhão de euros (R$ 11,8 milhões).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.