Jonathan Miller Photography
Jonathan Miller Photography

'Neymar está muito bem no seu novo papel de líder do Brasil', diz Puyol

Campeão do mundo em 2010, espanhol afirma que brasileiro tem tudo para ser o melhor jogador da Copa da Rússia

Entrevista com

Carles Puyol

Raphael Ramos, O Estado de S.Paulo

30 Novembro 2017 | 07h01

A sorte (ou azar) do Brasil no sorteio dos grupos da Copa do Mundo de 2018 pode estar nas mãos do espanhol Carles Puyol. O ex-jogador do Barcelona foi um dos escolhidos pela Fifa para fazer parte da escolha das chaves do Mundial, sexta-feira, em Moscou. Antes de desembarcar na Rússia, Puyol, campeão do mundo em 2010, falou com o Estado e afirmou que Neymar tem tudo para ser o melhor jogador da Copa de 2018. "Neymar está muito bem no seu novo papel de líder do Brasil e já demonstrou seu potencial nas Eliminatórias", disse.

Quais são as suas melhores lembranças da Copa do Mundo de 2010?

Lembro com orgulho não só de ganhar a Copa do Mundo naquele ano, mas a maneira como fizemos isso. Apesar de perder o primeiro jogo, o grupo permaneceu unido e aprendeu com os erros. Confiamos em nós mesmos e isso ficou evidente em campo. Claro, também lembro do meu gol contra a Alemanha. Foi um jogo muito difícil, contra um grande rival e aquele gol nos permitiu jogar a final contra a Holanda.

Como você recebeu o convite para participar do sorteio para a Copa do Mundo de 2018?

Na Copa do Mundo de 2014, no Brasil, durante a cerimônia final, a Fifa já havia me convidado para ser responsável por devolver o troféu de campeão mundial que ganhamos quatro anos antes. Mais uma vez, tenho a sorte de colaborar em um evento tão importante como o sorteio da Copa do Mundo com excelentes ex-jogadores como Maradona, Cafu e Cannavaro. Certamente será o início de uma grande Copa do Mundo.

Qual é a sua opinião sobre o futebol atual? O aspecto físico é mais importante do que o talento?

No futebol não vale ter só talento ou uma ótima forma física. Cada jogador é um mundo e tem habilidades diferentes. Na minha opinião, todos os jogadores que tiveram êxito têm grande força mental, que se traduz, por exemplo, em capacidade física, gestão da pressão e estresse, gestão de emoções e capacidade de não perder o foco e reconhecer seus pontos fortes e limitações. Minha experiência me diz que talento e força física devem estar de mãos dadas e isso é uma coisa que transmito aos jogadores.

Quem é o favorito para ser o melhor jogador da Copa do Mundo de 2018?

Esta Copa do Mundo vai reunir muitos jogadores em um grande momento esportivo. Tudo dependerá de como eles terminarão a temporada em seus clubes. Agora mesmo, Messi está um passo acima de todos os outros. Ele já foi o melhor jogador da última Copa do Mundo e não seria incomum repetir esse feito. Messi continua evoluindo e surpreendendo todos ano após ano. Neymar também está fazendo um ótimo ano no Paris Saint-Germain. Está muito bem no seu novo papel de líder do Brasil e já demonstrou seu potencial nas Eliminatórias. Cristiano Ronaldo e Suárez também estarão bem, mesmo que suas seleções sejam menos favoritas a priori.

Quais são as equipes favoritas para vencer a Copa?

Em uma competição desse tipo, é difícil prever um ganhador. Existem muitos candidatos e cada um deles tem um ponto forte. Creio que os favoritos são Brasil, Espanha, França, Alemanha e, também, a Argentina. Embora tenham se classificado no último jogo, eles têm o Messi, um jogador que faz a diferença e quer um dos grandes títulos lhe que falta. Depois, há um segundo grupo de equipes fortes como Inglaterra e Portugal.

Você acha que alguma seleção pode surpreender?

Sempre há surpresas. Eu vejo de maneira positiva que seleções menos usuais cheguem à fase final. Elas trazem ar fresco para a Copa e fazem os fãs mais neutros se identificarem com uma equipe. Em 2014, Costa Rica e Colômbia desempenharam um papel excelente sem ser favoritas. No ano que vem, na Rússia, seleções como Bélgica e Croácia podem ser as revelações por seu grande potencial. Temos também a Islândia, que já surpreendeu na Eurocopa de 2016.

Você acha que a Copa da Rússia será capaz de apresentar inovações táticas?

Certamente terão seleções com táticas diferentes ou que implementarão algumas nuances, como jogar na defesa com três ou cinco jogadores ou incluir mais atletas no meio de campo. Tudo depende de como os treinadores se adaptarão aos jogadores. Será interessante ver como isso se desenvolverá e como as equipes se prepararão. Todos os treinadores hoje em dia estão muito preparados, conhecem os rivais e sempre preparam alguma surpresa.

Por que a Espanha foi eliminada na primeira fase da Copa do Mundo de 2014?

No Brasil, havia muita expectativa para que a Espanha conquistasse o título, depois de ter vencido uma Copa do Mundo e duas Euros. Em uma Copa do Mundo, você deve reunir muitos fatores para ganhar. Você depende dos seus melhores jogadores e que todos cheguem ao seu melhor fisicamente. No caso da Espanha, os jogadores mais importantes da seleção chegaram à Copa com uma grande carga de partidas ou depois de lesões. Ser um favorito e cair na fase de grupos é um golpe muito duro. Mas, a derrota também faz parte do futebol e o que você precisa fazer é levantar-se e ver tudo o que foi feito de errado para melhorar.

Quais são as chances de a Espanha vencer a Copa de 2018? 

A Espanha é uma das favoritas, mas ainda falta muito. É importante ver como os jogadores chegarão à Copa após uma longa temporada. A Espanha tem hoje um bom grupo que mescla jogadores jovens, com fome e entusiasmo, e atletas experientes, que já sabem o que é ser campeão mundial. A Espanha tem um bom treinador, com filosofia de jogo e ideias muito claras. A seleção fez uma excelente Eliminatória e estou certo de que também fará um bom papel na Copa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.