Miguel A. Lopes / EFE
Miguel A. Lopes / EFE

Neymar está perto do maior passo para conquistar o prêmio de melhor do mundo

Em boa fase e maduro, atacante será favorito à honraria da Fifa se conduzir o time francês ao inédito título europeu

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

23 de agosto de 2020 | 05h00

O atacante Neymar vai jogar a final da Liga dos Campeões para realizar o grande sonho que o trouxe ao Paris Saint-Germain, em 2017. O camisa 10 se despediu do Barcelona após ser parceiro de Messi e de Suárez com esse objetivo principal, que poderá ser alcançado hoje em caso de vitória sobre o Bayern de Munique. Concretizar a meta de ser protagonista e levar o time francês ao inédito título europeu pode também deixá-lo mais perto da realização individual de ser escolhido pela Fifa o melhor jogador do mundo.

O camisa 10 deu duas assistências no últimos jogos da fase final e busca contra o Bayern marcar o primeiro gol nesta etapa decisiva do torneio. Até agora o jogador marcou três vezes na campanha, mas se revelou importante em outros segmentos. Neymar se mostrou uma liderança técnica em campo e uma figura mais agregadora nos bastidores, em uma postura diferente da exibida até pouco tempo atrás.

A primeira temporada de Neymar pelo time ficou marcada por um desentendimento em campo com o uruguaio Cavani sobre quem bateria um pênalti em janeiro de 2018 na vitória por 8 a 0 sobre o Dijon pelo Campeonato Francês. Se Cavani fizesse o gol, se tornaria de forma isolada o maior artilheiro da história do clube. Porém o brasileiro pegou a bola e fez a cobrança. Foi vaiado pela torcida.

A desavença mais recente entre Neymar e o público francês foi no meio do ano passado. O jogador quis retornar ao Barcelona por considerar não ter bom ambiente no clube parisiense. A negociação não deu certo e o brasileiro teve de aguentar vaias por vários jogos, assim como faixas e críticas da torcida. Agora, ele desfruta do melhor momento no PSG e da popularidade entre torcedores e companheiros.

Nos últimos meses Neymar se mostrou mais comprometido com o time e evitou polêmicas, como a de 2019, quando mesmo machucado e de muletas apareceu no carnaval do Rio. O camisa 10 reuniu companheiros de equipe em jantares em sua casa nos últimos meses e se mostrou mais integrado ao cotidiano do clube. A parceria com Mbappé aumentou e em campo os dois têm se entendido muito bem.

“É possível ver que esse time do PSG tem uma forte amizade e uma vontade de trabalhar e vencer juntos. Quando um time faz como na vitória contra o Atalanta e vira com gols nos acréscimos, é sinal que os jogadores têm uma união que existe fora de campo”, comentou o ex-jogador e ex-técnico do PSG, Luis Fernández.

Os últimos dias de Neymar nesta reta final da Liga dos Campeões colocaram o jogador em evidência nas redes sociais. Na semana do dia 12 de agosto, por exemplo, ele chegou a gerar 2,3 milhões de interações, número próximo ao que ele teve durante a disputa da Copa da Rússia, em 2018. Os dados são da Buzzmonitor Trends, ferramenta de monitoramento de redes.

“Tudo o que gira em torno dele vira ouro. É uma polarização entre lovers e haters intensa o tempo inteiro, o que acaba fomentando esse debate incessante. Ele é uma personalidade que consegue travar uma disputa de milhões de interações e se torna relevante por causa disso”, explicou o especialista em marketing esportivo e professor da ESPM (Escola Superior de Propaganda e Marketing), Marcelo Palaia. 

Antes da semifinal contra o RB Leipzig, Neymar deixou um recado para os torcedores. “Passando pra avisar que o pai acordou online”, escreveu. Dias antes, outra brincadeira do craque causou repercussão na rede e fez vários seguidores replicarem foto dele com um penteado moicano, o utilizado na época do Santos. “Moicano feito, julliete separada e a caixinha de som carregando”, contou.

Para Thiago Barros, gerente de conteúdo da Feng Brasil, empresa focada em engajamento de torcedores, as interações causadas por Neymar tiveram impacto grande alcançado de maneira espontânea. “Muita gente até acha que é algo incentivado, vi um pessoal dizendo que eram robôs, mas não vejo isso”, comentou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolNeymarParis Saint-Germain

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.