Albert Olivé/EFE
Albert Olivé/EFE

Neymar faz sua estreia oficial pelo Barcelona neste domingo

Craque deverá ficar no banco no jogo contra o Levante; Messi, recuperado de lesão, será titular

O Estado de S. Paulo

18 de agosto de 2013 | 08h30

BARCELONA - Passada a fase de aperitivo que foi a pré-temporada, chegou o dia de ver Messi e Neymar juntos em uma partida para valer. A dupla será a grande atração do jogo que o Barcelona disputará neste domingo no Camp Nou contra o Levante, pela primeira rodada do Campeonato Espanhol.

Neymar, no entanto, deverá começar a partida no banco de reservas. No último sábado, o técnico Gerado “Tata” Martino deu a entender que vai poupar o ex-jogador do Santos por acreditar que ele não está em ótimas condições físicas.

“A chegada do Neymar ao Barcelona não foi normal. Ele chegou com um título da Copa das Confederações, teve pouco tempo para treinar e se adaptar, viajou muito. Por isso, a minha ideia é que ele tenha paciência”, disse o treinador. “O que eu mais quero evitar é colocar um jogador que não esteja preparado em campo.”

Até agora, Neymar e Messi jogaram juntos uma hora: 15 minutos no amistoso com o Santos e meio tempo diante da Tailândia, em Bangcoc. No último jogo do Barça na Ásia, diante da Malásia, Messi foi poupado por causa de dores musculares – que também o tiraram do amistoso que Argentina e Itália disputaram na quarta-feira.

O bom relacionamento que os dois craques vêm tendo fora de campo deve ajudá-los a fazer dentro das quatro linhas o que o mundo inteiro espera. A maior parte das fotos de treinos do Barcelona mostra os dois lado a lado, conversando e sorrindo. E nas viagens também têm passado boa parte do tempo juntos.

“Neymar está feliz e com muita vontade de triunfar no Barcelona”, disse o atacante Pedro.

O ex-santista participou de quatro amistosos e marcou dois gols (um contra a Tailândia e outro contra a Malásia). Seu futebol foi melhorando jogo a jogo, e a expectativa no clube é de que sua presença em campo facilite a vida de Messi (atraindo marcadores para o lado esquerdo ele permitirá que o argentino tenha mais espaço para jogar). E, quando o argentino não estiver em campo, o que se espera é que ele não deixe o poder de fogo cair como caiu no fim da temporada passada, quando Messi se machucou.

Martino, que fará sua estreia pelo clube em jogos oficiais, não decidiu quem acompanhará Messi no ataque. Pedro, Tello e o chileno Alexis Sánchez são os candidatos. Na pré-temporada, quem teve melhor rendimento foi Sánchez.

“Desde que estou no time de cima a concorrência no ataque sempre foi grande, isso não é novidade. O elenco tem muita qualidade”, comentou Pedro, que não tem dúvida de que Neymar acrescentará muito à equipe. “Ele tem a capacidade de driblar para os dois lados e sabe fazer gols. Sua chegada é uma bênção para o time.”

FORÇA MÁXIMA

Na defesa e no meio de campo não há o que discutir e a equipe vai para campo com o que tem de melhor: Valdés, Daniel Alves, Piqué, Mascherano, Jordi Alba, Busquets, Xavi e Iniesta.

A missão de Martino é devolver ao Barcelona a intensidade e a contundência da primeira metade da temporada passada e dos anos em que a equipe foi dirigida por Pep Guardiola. Adepto da linha de trabalho de Marcelo Bielsa – que também é o guru de Guardiola –, ele prepara a equipe para pressionar com apetite no campo do adversário e manter a posse de bola o maior tempo possível para não correr riscos na defesa, que é o ponto fraco do time.

O jogo deste domingo será importante para lhe mostrar em que nível está a equipe, porque na quarta-feira começa a decisão da Supercopa da Espanha contra o Atlético de Madrid (campeão da Copa do Rei). A partida de ida será no Estádio Vicente Calderón, na capital espanhola, e a de volta está marcada para o dia 28, no Camp Nou.

Tudo o que sabemos sobre:
futinterfutebolBarcelonaNeymar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.