André Lessa/AE
André Lessa/AE

Neymar já sonha com duelo com Ronaldo no domingo

Jovem atacante santista afirma que é fã do jogador corintiano e diz que ficará feliz ao encontrá-lo

Sanches Filho, Agencia Estado

16 de março de 2009 | 18h37

SANTOS - O primeiro gol como profissional contra o Mogi Mirim faz parte do passado para Neymar. O novo sonho da promessa santista é enfrentar o Corinthians, e ver Ronaldo de perto, domingo, no Estádio do Pacaembu. "Sou fã dele", confessou o garoto. "Vou ficar feliz ao encontrá-lo. Ele foi o melhor do mundo três vezes e continua sendo ídolo da Nação."

Veja também:

linkKléber Pereira volta ao Santos contra o Rio Branco-AC

linkPaulo Henrique teme concorrência por vaga no Santos

linkMancini diz que Neymar está pronto para jogar o clássico

tabela Campeonato Paulista - Tabela e resultados

especial Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão

Engana-se os que acham que foi pretensão demais do garoto de 17 anos, completados no dia 5 de fevereiro, comemorar o gol socando o ar, como Pelé. Ele apenas atendeu a um pedido do seu pai. A comemoração foi combinada para homenagear o santista e fã de Pelé, Ildemar, avô do garoto prodígio e que morreu no ano passado.

Foi a primeira vez que Neymar começou um jogo pelo time principal, fez o primeiro gol como profissional e conversou com Giovanni, que fez história e se tornou ídolo santista, quando ele ainda era uma criança de apenas três anos de idade. "Ele me falou para levar a profissão a sério e manter sempre os pés no chão", revelou. "Procuro me inspirar nele, que é um jogador fora de série", simplificou.

Neymar admitiu que muita coisa mudou na sua vida nos últimos meses. "Não sou muito de balada, mas às vezes eu ia. Agora não pode mais. Ir à escola à noite, depois de treinar cedo e à tarde, também não dá". Ele parou de estudar no 2.º ano do Ensino Médio e atualmente faz um curso de inglês.

"Sinto falta da bagunça na escola. Sou bagunceiro, mas com educação, e sempre falo com os amigos da escola." Sobre a importância de do pai nas suas decisões ele disse que pesa muito. "É ele que diz o que eu posso e não posso fazer. Queria usar brinco e ele disse para eu nem pensar nisso", concluiu o garoto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.