Neymar joga bem, marca e Brasil supera o Uruguai em amistoso

Neymar joga bem, marca e Brasil supera o Uruguai em amistoso

Atacante foi o destaque brasileiro em duelo muito brigado diante de uruguaios

Paulo Favero, O Estado de S.Paulo

16 de novembro de 2018 | 20h08

De amistoso a partida entre Brasil e Uruguai não teve nada. Com entradas duras, carrinhos, muita briga pela bola, reclamações e oito cartões amarelos distribuídos pela arbitragem, o time do técnico Tite levou a melhor ao vencer por 1 a 0, graças a um gol de pênalti de Neymar. Agora, na terça-feira, a seleção volta a campo para enfrentar Camarões.

Se o treinador brasileiro queria usar o duelo diante dos rivais sul-americanos como um teste para a disputa da Copa América, principal competição do próximo ano e que será realizada no Brasil, o ponto alto foi o desempenho do atacante Neymar, melhor opção ofensiva da equipe e com uma postura bem diferente da que apresentou na Copa do Mundo na Rússia.

Com a bola no pé, Neymar foi o responsável pelas principais jogadas de perigo da seleção. Ele cobrou falta com perigo, fez um gol - mas a arbitragem corretamente marcou impedimento -, arriscou chutes de longe e teve ótima movimentação, principalmente pelo lado esquerdo do ataque, para tentar furar o bloqueio rival.

Mas o que mais chamou atenção foi o comportamento de Neymar. Ele sofreu com as faltas uruguaias, mas levantou e seguiu o jogo. Não reclamou e revidou apenas jogando bola. Falou com o juiz somente o necessário, e como capitão da seleção. Enfim, teve uma postura que contrastou com a vista na Copa do Mundo, quando ele viu sua fama de cai-cai superar as fronteiras internacionais.

E é esse tipo de Neymar que Tite quer ver na seleção, um jogador que é diferenciado e que, se mantiver a postura apresentada diante do Uruguai, na Copa América tem tudo para ajudar o Brasil a conquistar o título que não vem desde 2007, quando a equipe comandada por Dunga levantou o troféu na Venezuela.

Se Neymar brilhou, Douglas Costa ficou devendo. Ele não conseguiu levar a melhor sobre Laxalt e perdeu uma grande oportunidade de mostrar serviço. Do outro lado, os estreantes Mathias Suárez e Bruno Méndez tinham muita dificuldade para parar Neymar, Filipe Luís e quem mais caía pela esquerda do ataque brasileiro.

No primeiro tempo, apesar do domínio verde e amarelo, com posse de bola e até o gol anulado de Neymar, as melhores chances foram da Celeste. Na primeira, Suárez chutou forte, após vacilo de Danilo, e Alisson espalmou. A outra foi com Cavani, que chutou de primeira para boa defesa de Alisson após belo passe de Suárez.

Na etapa final, o Uruguai voltou melhor, pressionou e quase marcou em cobrança de falta de Suárez. Tite percebeu que alguns jogadores não estavam rendendo e colocou Allan e Richarlison em campo. Pouco depois, Danilo acabou sofrendo pênalti. Após muita reclamação dos uruguaios, pois a bola tocou na mão do lateral antes da falta, Neymar cobrou com perfeição e garantiu a vitória brasileira.

FICHA TÉCNICA

BRASIL 1 x 0 URUGUAI

BRASIL: Alisson; Danilo, Marquinhos, Miranda e Filipe Luís; Walace, Arthur e Renato Augusto (Allan); Douglas Costa (Richarlison), Firmino e Neymar. Técnico: Tite.

URUGUAI: Campaña; Mathias Suárez (Lemos), Méndez, Cáceres e Laxalt; Vecino (Valverde), Torreira, Bentancur e Pereiro (Jonathan Rodríguez); Luis Suárez e Cavani. Técnico: Oscar Tabárez

Gol: Neymar, aos 30 minutos do 2º tempo.

Juiz: Craig Pawson (Inglaterra).

Cartões amarelos: Douglas Costa, Walace, Luis Suárez, Torreira, Mathias Suárez, Vecino, Cáceres e Cavani.

Local: Emirates Stadium, em Londres.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.