Marcelo Del Pozo/Reuters
Marcelo Del Pozo/Reuters

Neymar marca em 100º jogo pelo Barça, mas Sevilla vence em casa

Brasileiro também para em grande atuação de goleiro rival

Estadão Conteúdo

03 de outubro de 2015 | 13h02

O sábado tinha tudo para ser especial para Neymar. O brasileiro fez seu centésimo jogo pelo Barcelona e marcou um gol, de pênalti. Mas o goleiro Sergio Rico e o meia Krohn-Deli queriam estragar a festa do atacante, e conseguiram. Foram eles os grandes responsáveis pela vitória do Sevilla sobre o time catalão por 2 a 1, em casa, pela sétima rodada do Campeonato Espanhol.

O resultado deixou o Barcelona na terceira posição, com 15 pontos, um atrás do surpreendente líder Villarreal, que ainda atua na rodada. O Sevilla, por sua vez, segue em campanha de recuperação após um início muito ruim e já aparece em décimo, com oito pontos.

Mesmo que não tenha conseguido impulsionar o Barcelona à vitória, Neymar foi um dos destaques em campo e iniciou sua boa atuação com uma linda jogada aos 13 minutos, quando arrancou, passou pelos marcadores e tocou para Suárez, que demorou para bater e acabou travado.

Mas o Sevilla também tinha suas armas e respondeu aos 20, quando Gameiro recebeu, até conseguiu passar por Bravo, mas ficou sem ângulo. O goleiro, então, se recuperou e travou.

Aos 22, o primeiro indício de que o dia não seria de Neymar. O brasileiro bateu falta com categoria, a bola tocou na trave, nas costas do goleiro e na trave novamente. Então, correu sobre a linha, enquanto Piqué e o zagueiro do Sevilla tentavam chegar a tempo. Não deu. Ela seguiu sobre a linha até que Suárez tentasse novo arremate, sem ângulo, parando na trave mais uma vez.

O Barcelona era melhor e teria outro ótimo momento aos 37. Suárez recebeu pela esquerda e deu belo toque por cobertura, acertando o travessão. Mas na volta para o segundo tempo tudo mudou e o Sevilla abriu o placar logo aos seis minutos. Após roubo de bola no meio de campo, Gameiro arrancou pela direita, passou pela marcação e cruzou rasteiro. Krohn-Dehli chegou por trás da zaga e bateu para a rede.

O gol desestabilizou o Barcelona, e o Sevilla aproveitou para ampliar logo na sequência. Somente seis minutos depois, o ataque dos anfitriões trabalhou muito bem a bola. Krohn-Dehli recebeu na esquerda de Iborra e devolveu na cabeça do meio-campista, que desviou para marcar.

Foi aí que começou o duelo particular de Sergio Rico e Neymar. Em duas oportunidades na sequência, o goleiro parou o atacante em lindas defesas. Neymar só superaria o goleiro com uma ajuda da arbitragem. Aos 27, Sandro arriscou de longe e o juiz marcou toque de mão de Andreolli, que estava com o braço colado ao corpo. O brasileiro foi para a cobrança e marcou.

Os últimos momentos, então, foram de pressão intensa do Barcelona, que viu Sandro acertar a trave mais uma vez aos 33, após passe de Suárez. No fim, a zaga do Sevilla conseguiu bloquear as melhores chances catalãs e segurou o triunfo.

Notícias relacionadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.