Franck Fife/AFP
Franck Fife/AFP

Neymar minimiza entrega da bola a Cavani: 'Não fiz isso para me reconciliar'

Brasileiro pegou a bola e deu para o uruguaio cobrar um pênalti na vitória sobre o Galatasaray, pela Liga dos Campeões

Redação, O Estado de S.Paulo

11 de dezembro de 2019 | 22h12

Um dos destaques da goleada do Paris Saint-Germain sobre o Galatasaray, Neymar chamou a atenção durante o jogo, válido pela última rodada da fase de grupos da Liga dos Campeões, ao entregar a bola nas mãos de Edinson Cavani para converter o pênalti que selou o placar de 5 a 0, no Parque dos Príncipes, na capital francesa. O brasileiro, contudo, minimizou o gesto ao fim da partida.

"Não fiz isso para me reconciliar com ninguém. Meu primeiro pensamento é no grupo, na equipe", disse o atacante, em entrevista ao canal Esporte Interativo. Em outro momento, os dois atacantes entraram em atrito dentro de campo por questões de cobrança de penalidades e faltas.

"O individualismo no futebol não cabe. Se eu quisesse isso, jogaria tênis, jogaria sozinho. No futebol, todo mundo tem que estar feliz e bem. E acho que o Edin [Cavani] precisava disso. Faltava ele fazer um gol. A gente ficou super contente, eu fiquei super feliz. Esse é o caminho da nossa equipe", disse Neymar. A partida contou com gols de todos os atacantes do PSG em campo: Icardi, Sarabia e Mbappé.

Ao ser questionado sobre críticas da torcida, ele garantiu que o gesto a Cavani não teve o propósito de agradar às arquibancadas. "Única coisa que tenho que fazer é estar dentro de campo, é onde consigo me defender das críticas. Quando jogo não tem discussão, não tem crítica. Todo mundo sabe do meu potencial, do que sei fazer. É me preparar, me cuidar, para que possa estar em campo."

Neymar disse também que está perto de chegar ao seu potencial total em campo, após se recuperar de lesão. "Estou muito contente, feliz com o meu jogo. Estou avançando na minha forma física, perto do 100%. Estou feliz, por ter ajudado com passes, gols, seguir assim, com mentalidade positiva para crescer e melhorar", afirmou o atacante, responsável por um gol e duas assistências nesta quarta-feira.

MUNDIAL 

O brasileiro afirmou ainda que ficará com o coração dividido no Mundial de Clubes da Fifa, numa eventual final entre Liverpool e Flamengo. Neymar disse que tem amigos nos dois times, mas admitiu torcer pela equipe carioca.

"Espero que essa seja a final. Tenho amigos nos dois, é bem difícil. Fabinho, Firmino e Alisson são grandes amigos. Gabriel, Rafinha, Filipe, Diego, entre outros que também estão no Flamengo. Mas acho que vou ficar com o time brasileiro. Vou ficar com o Mengão, porque eu sou brasileiro e espero que eles possam terminar esse grande ano com chave de ouro, porque já fizeram história e espero que possam continuar fazendo", declarou.

Para Entender

Programação de tv

Veja as principais atrações esportivas do dia

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.