JuanJo Martin/EFE
JuanJo Martin/EFE

Neymar mira o mundo com o Paris Saint-Germain

Por R$ 821,4 milhões, time francês tira atacante brasileiro da Espanha e muda patamar do futebol mundial: atacante será apresentado na Torre Eiffel

O Estado de S.Paulo

03 de agosto de 2017 | 08h05

Neymar vai tentar ganhar o mundo a partir de Paris. A contratação do atacante pelo Paris Saint-Germain vai ser oficializada nas próximas horas. Será a maior transação da história do futebol, mudando o patamar das negociações. O clube francês pagará ao Barcelona a multa rescisória de 222 milhões euros (R$ 821,4 milhões). Na França, mais do que ganhar cerca de 30 milhões euros (R$ 111 milhões) por ano, o brasileiro quer realizar o maior objetivo de sua carreira: ser eleito o melhor do mundo. Em troca, terá a missão de dar o título europeu ao PSG e solidificá-lo como um dos grandes times do futebol.

O plano dos dirigentes do Paris Saint-Germain é anunciar a aquisição de Neymar em entrevista coletiva nesta tarde, no Parc des Princes, estádio do clube, logo após o jogador assinar contrato. A apresentação à torcida seria amanhã na Champs Elysées, com a Torre Eifell ao fundo. No sábado, Neymar voltaria ao Parc des Princes para assistir à estreia do PSG no Francês, contra o Amiens.

 

Para isso, os franceses terão de efetivamente pagar a multa, o que um dos empresários do jogador, Wagner Ribeiro, garante que será feito rapidamente. “Depois que Neymar me deu luz verde em 1.º de agosto, fui a Paris e recebi a oferta do PSG para pagar a cláusula de rescisão, que será depositada nas próximas horas’’, assegurou.

Ribeiro não deu detalhes sobre como será feito o acerto. Na França, fala-se que há três alternativas. A mais provável é que o dinheiro seja depositado pela empresa Qatar Investments Authority, controladora do PSG. As outras hipóteses são o próprio Neymar fazer o depósito na conta do Barcelona, após o dinheiro lhe ser repassado. Ou ainda a própria instituição PSG efetuar o pagamento da multa.

Nos últimos dias, Neymar já vinha dando sinais de que não permaneceria no Barcelona e ontem oficializou sua posição. Foi ao clube pela manhã, mas, em vez de treinar, comunicou aos seus companheiros que estava de saída. Depois, reuniu-se com os dirigentes do clube catalão e fez o mesmo. Pouco depois, acompanhado de Wagner Ribeiro, de seu pai, Neymar da Silva Santos, e de alguns amigos, voou para o Porto.

Na cidade portuguesa, Neymar se encontrou com dirigentes do PSG e passou por exames médicos. Também foram acertados os últimos detalhes do contrato e da apresentação. Ele ainda voltou a Barcelona.

Riscado do mapa

Assim que a saída de Neymar foi oficializada, o Barcelona “varreu’’ o jogador do mapa. Todas as referências a ele na loja do clube, como as camisas, foram recolhidas. Na cidade, peças publicitárias com sua imagem foram trocadas. Os cartazes chamando para o amistoso de segunda-feira com a Chapecoense foram substituídos por outros com a foto do croata Rakitic em seu lugar.

Nos quatro anos em que defendeu o clube espanhol, onde chegou no segundo semestre de 2013, o craque brasileiro vestiu a camisa 11. No PSG, vestirá a 10, que no momento pertencente ao argentino Pastore – ele já avisou que vai repassá-la.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.