Adrian Dennis/AFP
Adrian Dennis/AFP

Neymar, o maior finalizador, duela com Ochoa, autor de mais defesas

Brasil e México terá na segunda-feira, em Samara, um confronto individual interessante

Ciro Campos, Leandro Silveira, Almir Leite, enviados especiais / Kazan e Sochi, O Estado de S.Paulo

30 Junho 2018 | 05h00

A partida de oitavas de final entre Brasil e México terá na segunda-feira, em Samara, um dos confrontos individuais mais interessantes da Copa do Mundo. O atacante Neymar terminou a primeira fase como o jogador que mais chutou a gol no torneio e tentará ser mais efetivo nesse fundamento logo contra o goleiro autor de mais defesas na fase inicial, o mexicano Guillermo Ochoa.

+ 'Espiões' consideram México um adversário perigoso e traiçoeiro

+ Após retorno aos treinos na seleção, Danilo celebra recuperação rápida

+ Casemiro minimiza chance de colchão ter lesionado Marcelo: 'Já dormi no chão'

Segundo as estatísticas oficiais da Fifa, nenhum jogador da Copa chutou mais a gol do que Neymar. Foram 17 finalizações, oito na direção do gol, com apenas uma convertida, contra a Costa Rica. Por coincidência, o número de defesas de Ochoa é o mesmo da quantidade chutes do brasileiro. O mexicano precisou trabalhar 17 vezes, apesar de ter sofrido quatro gols na fase de grupos.

O atacante mais perigoso e o goleiro mais eficiente da Copa até o momento ajudam a indicar como deve ser a partida. Guiado por Neymar, o Brasil é quem mais chutou a gol na primeira fase, com 56 finalizações, e deverá ter na segunda-feira as ações principais da partida, como mais posse de bola e a busca pelo ataque. O México deve repetir a estratégia da vitória sobre a Alemanha, ao tentar segurar os adversários e explorar contra-ataques.

“É inevitável dizer que o nosso jogador acima da média é o Neymar, mas não podemos nos esquecer que temos outros grandes jogadores, uma defesa muito sólida, um grande goleiro. Assim como em outros anos, quando foi Ronaldo, Pelé, Romário. Futebol são 11, 14 jogadores”, ponderou ontem o volante Casemiro.

 

As carreiras de Neymar e Ochoa estão interligadas há bastante tempo. A coincidência começou em 2011, quando os dois ainda atuavam no futebol dos respectivos países. Santos e América, do México, se encontraram nas oitavas de final da Copa Libertadores. Após campanha irregular na fase de grupos, o time da Vila Belmiro recebeu os mexicanos e ganhou por 1 a 0. Neymar fez a jogada e deu a assistência para Ganso chutar no canto do goleiro Ochoa.

Na partida de volta, empate em 0 a 0 e dali o Santos rumou para ganhar o seu terceiro título continental. Neymar foi a estrela da campanha e, anos depois, já como jogador do Barcelona, era a esperança do Brasil na Copa de 2014. Em Fortaleza, na segunda rodada, seria a vez de Ochoa levar a melhor sobre o brasileiro. O goleiro mexicano foi o melhor em campo no empate sem gols, com direito a duas defesas difíceis em finalizações de Neymar (uma cabeçada e um chute à queima roupa).

O bom Mundial disputado no Brasil fez o goleiro mexicano ser valorizado no futebol europeu e virar titular do Granada, da Espanha. O novo encontro com Neymar viria na temporada 2016/17. No confronto pelo primeiro turno, Ochoa levou a melhor sobre o atacante na maioria dos lances, exceto em um, no segundo tempo. Um chute do brasileiro bateu na trave e no rebote, o time catalão fez o gol da vitória por 1 a 0.

Meses depois, já em abril do último ano, novamente os dois conhecidos se encontraram em campo, em partida muito especial para Neymar. O atacante estava naquela época em negociação para se transferir ao Paris Saint-Germain e enfrentou o Granada, fora de casa, em busca de um objetivo pelo Barcelona. Restava somente um gol para ele anotar o 100º pelo clube.

A partida estava no fim quando o atacante teve a chance nos acréscimos de definir a jogada contra Ochoa. Neymar fechou a vitória por 4 a 1 e naquela ocasião comemorou uma importante marca pelo Barcelona, conquistada até mesmo com 11 jogos a menos do que Lionel Messi. 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.