Luis Gene/AFP
Luis Gene/AFP

Neymar passa de artilheiro a garçom em 2016

Atacante bateu o recorde de assistências de sua carreira dando 34 passes para gol

Gonçalo Junior, O Estado de S. Paulo

26 de dezembro de 2016 | 07h00

Em 2016, Neymar fez menos gols, mas deu mais assistências. Em 2015, foram 45 gols e 15 passes para gol em 59 jogos. Neste ano, ele fez 30 gols (15 a menos que no passado), mas dobrou a média de assistências, chegando a 34. É o recorde de sua carreira em uma temporada.

Com passes para Messi e Luis Suárez no Barcelona ou para Gabriel Jesus e Phillipe Coutinho na seleção brasileira, Neymar alcançou três assistências a mais que seu recorde anterior, em 2013, quando realizou 31 em 70 partidas.

Essa diferença em seu estilo de jogo ganha relevo na última fase do Campeonato Espanhol. Seu último gol no torneio foi marcado no mês de outubro, quando o Barcelona venceu o City. Já são nove jogos de jejum, embora tenha marcado um gol no amistoso no Catar no início de dezembro. O jogador minimizou a “seca”.

“Quero ajudar os meus companheiros como puder, com gols ou assistências. Podem acontecer coisas que não saiam como queremos. Quero fazer um gol e não sai, quero dar um passe e não sai... Isso é futebol”, afirmou o atacante em entrevista à liga organizadora do Campeonato Espanhol.

Neymar forma ao lado de Lionel Messi e Luis Suárez o trio de ataque mais badalado do futebol atual. "É estranho, porque eu sou brasileiro, outro argentino e outro, uruguaio. Somos rivais em nossos países, na América do Sul. Não sei o que aconteceu, mas temos uma grande amizade, sempre de brincadeiras um com outro. Para mim, é uma felicidade encontrar pessoas assim no futebol", disse Neymar. Veja os números de atacante em 2016: 

Barcelona

48 jogos (35 vitórias/ 6 empates/ 7 derrotas)

22 gols

24 assistências

12 amarelos

Seleção Brasileira

6 jogos (5 vitórias/ 1 empate/0 derrota)

4 gols

6 assistências

3 amarelos

Seleção Olímpica

7 jogos (4 vitórias/3 empates)

4 gols

4 assistências

1 amarelo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.