Neymar perde pênalti e Santos só empata no Chile

O Santos teve a chance de voltar de Santiago com a vantagem sobre a Universidad de Chile na Recopa Sul-Americana. Mas Neymar escorregou e mandou para longe o pênalti que ele teve para bater no primeiro tempo, quando o jogo aconteceu debaixo de forte chuva. Na segunda etapa, o craque quase resolveu num lance genial, quando acertou o travessão. Diante da falta de criatividade dos demais, o jogo terminou mesmo em 0 a 0.

DEMÉTRIO VECCHIOLI, Agência Estado

23 de agosto de 2012 | 00h09

A partida de volta da competição que envolve os campeões de 2011 da Libertadores (Santos) e da Copa Sul-Americana (Universidad de Chile) acontece apenas no dia 26 de setembro, às 22h, no Pacaembu. Quem vencer fica com o título, inédito para ambos. Em caso de nova igualdade, por qualquer placar, a partida em São Paulo vai para a prorrogação.

O JOGO - Mesmo envolto em uma negociação com o São Paulo, o meia Paulo Henrique Ganso entrou normalmente em campo com o time do Santos nesta quarta-feira. O lateral-esquerdo Juan, que pode servir de moeda de troca e ficar em definitivo no clube da Baixada, retomou seu lugar entre os titulares depois de cumprir suspensão no clássico de domingo, contra o Corinthians, pelo Brasileirão.

Apesar do campo pesado, que prejudicava o time leve santista, os visitantes começaram melhor. Aos 8 minutos, Neymar foi lançado, driblou o goleiro, mas ficou sem ângulo. Demorou a bater e acabou por perder ótima chance. Outra boa oportunidade veio aos 15, quando Ganso recebeu de Neymar, driblou o zagueiro e chutou firme. Johny Herrera pegou no reflexo.

Mas a melhor chance seria mesmo o pênalti. Foi aos 16 minutos, num erro do árbitro. Neymar driblou dois de uma vez só e, quando entraria na área, foi calçado. Falta fora da área, mas assinalada dentro. Na batida, porém, o atacante escorregou antes do chute, caiu sentado e mandou para muito longe.

O lance acordou a Universidad de Chile, que foi para cima e passou a dominar a partida. Faltou, porém, acertar o último toque na bola. Num lance, a bola correu e fugiu do domínio de Mena. Em outro, Gutiérrez cabeceou livre, para fora.

Na segunda etapa, o time da casa continuou superior. Em cinco minutos foram três chances perigosas: num desarme providencial de Durval em Cereceda, num chute para fora de Acevedo e num cabeceio de Gutiérrez por cima do gol.

Pouco participativo, André deu lugar a Miralles, mas o time do Santos não melhorou. A Universidad de Chile, porém, não conseguiu mais entrar na área brasileira e o jogo passou a ser morno.

Esse panorama quase mudou aos 43, quando Ganso deu um lindo toque de calcanhar para Felipe Anderson e esse tentou Neymar. O passe foi forte, o atacante dominou, parou a bola na esquerda da área e, marcado, deu uma cavadinha para encobrir Herrera. Ela caprichosamente bateu no travessão. Era a certeza do empate.

FICHA TÉCNICA:

UNIVERSIDAD DE CHILE 0 X 0 SANTOS

UNIVERSIDAD DE CHILE - Johny Herrera; Acevedo, Martínez, Rojas e Mena; Rodríguez (Bravo), Aránguiz, Marino (Videla) e Cereceda; Lorenzetti e Gutiérrez. Técnico - Jorge Sampaioli.

SANTOS - Rafael; Bruno Peres, Bruno Rodrigo, Durval e Juan; Adriano, Arouca, Paulo Henrique Ganso e Patito (Felipe Anderson); Neymar e André (Miralles). Técnico - Muricy Ramalho.

ÁRBITRO - Nelson Pitana (Argentina)

CARTÕES AMARELOS - Cereceda, Lorenzetti, Arouca e Paulo Henrique Ganso.

RENDA E PUBLICO - Não disponíveis

LOCAL - Estádio Nacional de Santiago (Chile)

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSantosRecopa Sul-Americana

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.