Neymar pode entrar em rodízio no Barcelona

Tata Martino não descarta possibilidade de deixar o atacante brasileiro no banco em algumas partidas

Mateus Andrighetto Tamiozzo, especial para o Estado, O Estado de S.Paulo

24 de setembro de 2013 | 15h11

BARCELONA – Após cinco partidas consecutivas pelo Barcelona como titular, Neymar pode entrar para o esquema "rotativo" do treinador Tata Martino e ir para o banco de reservas. O corpo técnico do clube catalão também considera os jogos de Neymar com a seleção brasileira. Nas últimas três atuações, o atacante esteve fora dos gramados por apenas dois minutos. As informações foram divulgadas pelo diário espanhol Marca antes do jogo desta terça do Barcelona contra Real Sociedad, pelo Campeonato Espanhol, no qual Neymar e Messi estiveram juntos desde o começo. Embora a possibilidade exista, o atacante brasileiro começou a partida com o Real Sociedad como titular nesta terça-feira, 24.

Depois de iniciar no banco de reservas nas três primeiras partidas oficiais pelo Barcelona, Neymar, agora, só fica atrás do goleiro Victor Valdés em tempo de permanência em campo. "É algo que vamos rever", disse Martino. Na conta de Neymar estão 755 minutos em 11 partidas oficiais entre Barcelona e seleção brasileira, desde a sua chegada à Espanha. O treinador do clube catalão saiu em defesa de Neymar e voltou a minimizar a falta de gols do craque. "Ele (Neymar) se adaptou, não só na criação, mas também no trabalho de criação das jogadas. Estou muito contente com seu trabalho e não esqueço que teve uma pré-temporada difícil", enfatizou Martino, ao lembrar a Copa das Confederações e viagens do atleta com a seleção brasileira. 

Neste terça, na partida do Barcelona com o Real Sociedad, Neymar e Messi entraram em campo com seus respectivos filhos no colo. E nos primeiros minutos de jogo, a dupla já havia balançado as redes. Neymar abriu a contagem e depois deu passe para Messi fazer o seu. 

Tudo o que sabemos sobre:
futinterneymarbarcelona

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.