Lee Smith / Reuters
Lee Smith / Reuters

Neymar quer aproveitar amizade e levar Pogba para o PSG na próxima temporada

Brasileiro tenta convencer francês a ir para Paris; situação no Manchester United é tensa

O Estado de S.Paulo

05 Outubro 2018 | 21h59

Neymar mantém conversas com Paul Pogba para convencê-lo a ir jogar no PSG em 2019. O contato ocorre em meio à crise na relação entre Pogba e o técnico do Manchester United, José Mourinho. A equipe inglesa está há quatro jogos sem vencer e cogita a demissão do treinador, que nunca teve sequência tão negativa em toda a carreira. 

O destino favorito do francês é o Barcelona, que tentou a contratação do atleta na última janela de transferências. Entretanto, Pogba veria com bons olhos uma mudança para Paris, sua cidade natal. E Neymar tem agido nos bastidores para concretizar a transferência do meia ao PSG.

A tensão entre o português e o jogador da seleção francesa não é recente. Embora o campeão da Copa de 2018 seja vice-capitão do United, ele e Mourinho vêm tendo atritos desde o começo da atual temporada europeia. A situação faz com que Pogba considere a saída do clube, e o PSG desponta como um dos principais interessados no futebol do ex-jogador da Juventus.

Os jogadores têm boa relação há anos. Quando jogava no Barça, o brasileiro tentou convencer Pogba a se transferir para a equipe catalã, antes da ida do francês ao United. Agora, Neymar espera obter sucesso para levar o amigo ao time do Parque dos Príncipes. O meia representaria uma grande adição ao plantel parisiense, que domina o futebol doméstico há anos e ambiciona a conquista da Liga dos Campeões. 

As contratações milionárias empreendidas pelo presidente Nasser Al-Khelaifi comprovam a aspiração do PSG: apenas nas compras de Neymar e Mbappe, o clube gastou a bagatela de 1,5 bilhão de reais. O brasileiro, jogador mais caro da história do futebol mundial - 821 milhões de reais -, tem conversado com dirigentes para trazer Pogba. A crença é de que a chegada do francês elevaria o nível da equipe. 

A negociação, porém, não é nada simples. Convencer o clube a liberar o jogador seria difícil, e os valores da transação chegariam ao patamar das cifras pagas por Neymar. Além disso, há a concorrência do Barcelona. Mas Pogba não parece disposto a esperar por muito tempo, em especial se Mourinho ficar. No mês passado, o técnico o retirou temporariamente das funções de vice-capitão após críticas do francês ao time. Pouco depois, os dois foram flagrados discutindo durante em um treinamento.

No meio de semana, após o empate por 0 a 0 diante do Valencia, pela Liga dos Campeões, Pogba disse aos repórteres da zona mista que foi instruído a não falar. Mais um indício da relação deteriorada entre o francês e o treinador, e, consequentemente, o próprio clube. Em agosto, o meia disse que não poderia se manifestar sobre sua situação por medo de ser multado. O fato é que o cenário está longe de ser dos melhores.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.