Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Neymar reencontra colombiano que o tirou da Copa

Craque do Brasil esquece episódio e diz que perdoou Zuñiga

ALMIR LEITE E GONÇALO JÚNIOR, ENVIADOS ESPECIAIS A SANTIAGO, O Estado de S.Paulo

17 de junho de 2015 | 06h55

Nesta quinta-feira em Santiago, Neymar vai reencontrar pela segunda vez o lateral Zuñiga, colombiano que o tirou da Copa do Mundo com uma joelhada que causou uma fratura na terceira vértebra. Na primeira vez em que se enfrentaram após o Mundial, em um amistoso em setembro do ano passado, em Miami, os dois trocaram um abraço carinhoso, iniciativa do colombiano. Dunga não vê motivos para preocupação no novo reencontro.

“Não preocupa o Neymar. Ele jogou com a Colômbia nos Estados Unidos. Ao meu modo de ver, foi uma entrada de jogo, perdeu a coordenação de movimento. Não tinha como parar e acabou fazendo a falta. Parto do pressuposto que nenhum jogador entra de forma desleal para tirar um companheiro de trabalho do jogo”, disse o treinador.

Para o lateral colombiano, o assunto ficou no passado. “Está tudo bem com Neymar. Já ficou tudo no passado. Vou jogar contra o Brasil como joguei contra a Venezuela, é um jogo normal. Espero que não armem uma polêmica sobre isso.”

No jogo das quartas de final da Copa, Neymar sofreu uma entrada de Juan Zúñiga e saiu do jogo de maca, chorando muito. Após exames, veio a constatação de uma fratura na terceira vértebra na região lombar. Neymar usou uma cinta de imobilização, teve boa recuperação, sem sequelas, e voltou a atuar no início do mês de agosto, pouco mais de um mês após a lesão.

Neymar perdoou o colombiano. “Eu o perdoaria. Não sinto rancor, não sinto ódio. Me ligou, me pediu desculpas, que não queria me machucar, falou um bocado de coisas legais. Não sinto ódio, desejo que tenha sucesso na carreira”, afirmou logo após a lesão. 

O craque do Barcelona ainda convidou Zúñiga para o desafio do balde de gelo, uma corrente que consistia em tomar um banho com água gelada para conseguir doações para a Associação ALS, que luta contra a esclerose lateral amiotrófica 


Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.