Marcelo Maragni/ Red Bull Content Pool
Marcelo Maragni/ Red Bull Content Pool

Neymar se diz mais 'cascudo' para Mundial e prevê Bélgica como possível surpresa

Atacante do PSG vê ganho de experiência e acredita que seleção não terá nenhum jogo fácil na Copa

Estadão Conteúdo

20 de dezembro de 2017 | 17h22

Principal esperança da seleção brasileira na luta pelo hexacampeonato mundial na Copa de 2018, na Rússia, Neymar aposta que a experiência que acumulou nas últimas temporadas e na edição passada da competição, em 2014, no Brasil, será um grande trunfo para brilhar no grande evento do futebol que será realizado no próximo ano.

Cristiano Ronaldo volta a treinar separado e começa a preocupar o Real

"Acho que em 2018 estarei melhor do que em 2014. Já participei de uma Copa do Mundo, então já sei como é. Por isso, acho que vou saber me preparar melhor. Além disso, estou mais experiente, mais vivido, mais cascudo", afirmou o atacante, em entrevista distribuída por sua assessoria nesta quarta-feira e concedida durante o lançamento da terceira edição do Neymar Jr's Five, campeonato amador de futebol que é promovido pelo astro.

Ao projetar a Copa de 2018, o astro do Paris Saint-Germain também apontou as seleções que considera as principais favoritas ao título e previu que a Bélgica poderá ser uma das surpresas do grande torneio.

"As seleções mais conhecidas são as favoritas ao título sempre. Além do Brasil, são Alemanha, Espanha, França e Argentina. Essas seleções são destaques em qualquer campeonato que participam, né?", afirmou Neymar, que depois reforçou: "Eu acho que, de surpresa, a Bélgica tem um excelente time e o Salah vem indo bem, é um grande jogador e pode fazer a diferença na Copa do Mundo".

Já ao ser questionado sobre o que achou dos primeiros adversários da seleção brasileira no Mundial de 2018, que serão Suíça, Costa Rica e Sérvia e foram definidos em sorteio no último dia 1º, em Moscou, o atacante evitou exibir otimismo exagerado e lembrou que todas as partidas de uma Copa costumam ser complicadas. "Na Copa do Mundo, não tem muito o que você escolher... não existe jogo fácil, por isso que se chama Copa do Mundo. Todo jogo é jogão", disse.

O campeonato amador que leva o seu nome é disputado em vários países pelo mundo e é realizado em um formato cujos times contam com cinco jogadores cada e atuam em quadra de tamanho reduzido. E, a cada gol marcado, o adversário que o sofreu perde um atleta em campo, sendo que vence o duelo quem faz cinco gols primeiro.

A edição de 2017 do Neymar Jr's Five contou com a participação de cerca de 100 mil jogadores, de 53 países em seis diferentes continentes, sendo que a final mundial da competição foi realizada no Instituto Projeto Neymar Jr, na Praia Grande, em julho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.