Benoit Tessier/Reuters
Benoit Tessier/Reuters

Neymar tem pena reduzida na Liga dos Campeões de três para dois jogos

Brasileiro foi punido pela Uefa na última edição da competição por ofensa à arbitragem

Redação, O Estado de S.Paulo

17 de setembro de 2019 | 07h10

O Tribunal Arbitral de Esporte (TAS) atendeu parcialmente a ação do Paris Saint-Germain e reduziu de três para duas partidas a suspensão aplicada a Neymar por insultos à arbitragem na última edição da Liga dos Campeões. A corte entendeu que a punição para casos de 'linguagem abusiva' é de dois jogo. Com isso, o brasileiro poderá fazer sua estreia na competição no dia 22 de outubro, quando o clube francês visita o Club Brugge, na Bélgica. Ele ainda vai perder os duelos com Real Madrid e Galatasary, pelo Grupo A.

O brasileiro foi suspenso pela Comissão Disciplinar da Uefa em abril, após ofensas feiras no dia 6 de março. Na ocasião, o brasileiro, lesionado,  acompanhou das tribunas do Parque dos Príncipes a eliminação do PSG para o Manchester United nas oitavas de final. No fim do jogo, Neymar foi para as redes sociais criticar os árbitros, principalmente o VAR (árbitro de vídeo). 

"Isso é uma vergonha! Ainda colocam quatro caras que não entendem de futebol pra ficar olhando lance em câmera lenta. Isso não existe! Como o cara vai colocar a mão de costas? Ah vá pá [sic] pqp", escreveu na ocasião.

A reclamação de Neymar foi no pênalti assinalado contra o Paris Saint-Germain por um toque de mão Kimpembe na área. Após o VAR rever o lance, a penalidade foi confirmada. O clube francês, que havia vencido o primeiro jogo em Manchester por 2 a 0, acabou eliminado ao perder em casa por 3 a 1.

OUTRA CONFUSÃO

No fim da temporada passada, o principal nome da seleção brasileira e do PSG também acabou suspenso por três partidas pela Federação Francesa de Futebol (FFF) por ter agredido um torcedor que o provocou após a derrota nos pênaltis na final da Copa da França, em 27 de abril, contra o Rennes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.