Rafael Ribeiro/ CBF
Rafael Ribeiro/ CBF

Neymar treina com a seleção e deve ser titular contra Honduras

Atacante do Barcelona deve jogar por pelo menos um tempo

ALMIR LEITE, Estadão Conteúdo

09 de junho de 2015 | 18h45

O atacante Neymar participou normalmente do treino da seleção brasileira na tarde desta terça-feira, no Beira-Rio, e deverá estar entre os titulares no amistoso da noite de quarta-feira, contra Honduras. O técnico Dunga vai confirmar o time depois do treinamento realizado no estádio do Internacional.

Neymar foi o último jogador a se apresentar à seleção, mas disse que quer jogar. Deve atuar pelo menos um tempo. O atacante se apresentou somente na noite de segunda-feira, direto em Porto Alegre. Ele chegou à capital gaúcha em um jatinho particular antes mesmo do elenco da seleção, que estava em São Paulo, onde venceu o México no domingo.

Neymar se apresentou somente na segunda porque defendeu o Barcelona na final da Liga dos Campeões, no sábado, em Berlim. O time catalão venceu a Juventus e se sagrou campeão europeu. Apesar do cansaço da partida e do desgaste da viagem, o jogador treinou com o grupo brasileiro no Beira-Rio.

Se o atacante treina normalmente com a equipe, o lateral Danilo esteve fora da atividade. Ele permaneceu no hotel em tratamento, em razão de um problema no tornozelo direito. Deverá ser substituído por Fabinho no amistoso com Honduras, em preparação para a Copa América.

A comissão técnica da seleção brasileira permitiu a entrada da torcida no Beira-Rio, nos minutos finais do treino desta terça feira, preparatório para o amistoso com Honduras. Animados, os torcedores gritavam o nome de Neymar, pediam autógrafos e vibravam a cada gol no rachão. 

O zagueiro David Luiz também foi bastante ovacionado pela torcida. Os gritos aumentavam a cada vez que Neymar ou David Luiz tocava na bola. 

Desde o meio da tarde os torcedores se concentraram em um dos acessos às arquibancadas,  do lado externo,  pedindo para assistir ao treino.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.