Inter/Site oficial
Inter/Site oficial

Nico López prevê marcação dura do Palestino e quer Inter jogando no contra-ataque

Colorado enfrenta time chileno na quarta-feira, em estreia pela Libertadores

Redação, Estadão Conteúdo

02 de março de 2019 | 15h26

O atacante Nico López projeta um duelo difícil para o Internacional na estreia na Copa Libertadores. Na avaliação do uruguaio, o Palestino vai dar trabalho ao time gaúcho em razão da marcação dura e das faltas que faz e acredita que a melhor estratégia será jogar no contra-ataque em Santiago, na quarta-feira que vem.

"O Palestino joga muito bem e marca muito. Faz muitas faltas", avisou o atacante, que espera usar a velocidade do elenco gaúcho para surpreender o anfitrião. "O Inter tem jogadores rápidos. Se nos deixarem contra-atacar, vai ser muito bom para os jogadores da frente."

Questionado se será titular, o atacante se esquivou. "Não sou o treinador e não sei quem jogará. Mas tenho certeza de que quem atuar dará conta do recado", afirmou López, após o treino realizado na manhã deste sábado.

Após virar destaque no futebol sul-americano, ao brilhar pelo Nacional-URU na Libertadores de 2016, Nico López espera repetir o feito neste ano, após passar pelas dificuldades que o Inter enfrentou nos últimos anos, com o rebaixamento no Brasileirão e o acesso na Série B. "Tenho mais uma oportunidade de disputar [a Libertadores], estou muito contente em poder jogar novamente. Estamos treinando para chegar da melhor forma."

Antes da coletiva concedida pelo atacante, o técnico Odair Hellmann comandou treino na manhã deste sábado. Ele deu atenção ao trabalho técnico. Assim, dividiu o grupo em seis equipes de cinco jogadores e promoveu partidas rápidas entre elas. O treinador cobrou intensidade e velocidade nas finalizações.

Ainda sem definir a equipe titular do Inter para a estreia na competição sul-americana, Odair voltará a comandar o time em treino marcado para a manhã deste domingo. Será a penúltima atividade preparatória antes da viagem para o Chile.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.