Nicolás Leoz defende punição exemplar

Se depender de Nicolás Leoz, presidente da Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol), o zagueiro Leandro Desábato, pode sofrer punição exemplar no âmbito esportivo. "Não podemos admitir o racismo no futebol. Seguramente, será punido severamente", afirmou o dirigente. O argentino pode ser suspenso até o fim da Taça Libertadores - o Quilmes tem mais dois jogos na primeira fase, contra The Strongest, dia 28, e Universidad do Chile, dia 11 de maio -, mas Leoz vai aguardar o relatório do árbitro Martín Vasquez, do Uruguai, e do delegado do jogo contra o São Paulo para tomar uma decisão oficial. "Ele está fora do próximo jogo pela Libertadores", antecipou. O presidente da Conmebol - que esteve hoje à tarde no 34.º Distrito Policial, em São Paulo, na companhia de Marco Polo del Nero, presidente da Federação Paulista de Futebol, para conversar com Desábato - espera que a atitude tomada pela justiça brasileira com relação a Desábato sirva de exemplo para os outros países. "O racismo é um problema que se espalhou pelo mundo", lamentou Leoz. "O futebol perde com estes incidentes." Apesar do incidente, Nicolas Leoz não acredita que haverá represália por parte dos argentinos, quando o São Paulo ou a seleção brasileira atuarem naquele país. "Não vejo motivos, mas estaremos atentos, caso aconteça outro problema", afirmou.Notícias relacionadas ao caso: Prisão de Desábato sai até na China Grafite perdoa, mas mantém processo Grondona considera prisão um "exagero" Teixeira e Parreira repudiam racismo Embaixador quer desculpas de Desábato Câmara convida Grafite a debater o racismo Quilmes: delegação passou dia no hotel Desábato é um ilustre desconhecido Juiz determina fiança para Desábato Governo brasileiro condena ato racista Ibase encaminhará mensagens à Fifa Desábato é transferido de delegacia Alckmin condena racismo de Desábato Argentino é suspenso preventivamente Nicolás Leoz visita jogador argentino Grafite conseguiu o que queria?, diz Olé Quilmes acusa São Paulo de montar farsa Conmebol também investiga Desábato Enquete em jornal argentino vê racismo ?Atleta não demonstrou arrependimento? Delegação do Quilmes está retida em SP Jogador argentino está incomunicável Advogados tentam livrar jogador Desábato preso por racismo no Morumbi São Paulo vence Quilmes e lidera Grupo 3

Agencia Estado,

14 de abril de 2005 | 20h29

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.