Nigéria confirma hospedagem em Campinas durante a Copa

Delegação desmente que trocaria o interior de São Paulo pela cidade de Londrina, no Paraná

Gonçalo Junior, O Estado de S. Paulo

28 de fevereiro de 2014 | 05h00

SÃO PAULO - A seleção da Nigéria confirmou ontem que vai se hospedar em Campinas durante a Copa. A notícia tranquilizou a prefeitura e empresários da região, que estavam apreensivos com a falta de contatos na última semana e a possibilidade de os africanos optarem por Londrina (PR). O motivo seria um eventual atraso na reforma do gramado do Estádio Brinco de Ouro. “Vivemos um dia de tensão, mas eles confirmaram a vinda para Campinas e disseram que nunca tiveram dúvidas”, comemora Alexandra Caprioli, diretora de Turismo de Campinas.

No dia 31 de janeiro, a Fifa divulgou a lista dos locais de hospedagem das 32 seleções. A delegação de 90 nigerianos confirmou que vai ficar em 46 quartos do Vitória Concept Hotel a partir do dia 11 de junho. O hotel já preparou um esquema especial para evitar o contato com o restante dos hóspedes – o local, que tem 253 apartamentos, não será ocupado exclusivamente pelos africanos. A academia, por exemplo, terá horários específicos.

Com a confirmação da Nigéria, Campinas reafirma a condição de polo regional da Copa, justificada, em grande parte, pela presença de Portugal – leia-se Cristiano Ronaldo. O time de Paulo Bento vai se preparar no Royal Palm Plaza, luxuoso complexo com mais de 500 apartamentos. Mas as centenas de fãs que procuram o local com a esperança de ver o melhor jogador do mundo vão se frustrar. Os atletas vão se hospedar no The Palm, prédio isolado dentro do complexo que, esse sim, será fechado para os outros hóspedes.

“Os atletas só terão contato com os torcedores se realmente quiserem”, conta César Nunes, diretor comercial do Grupo Royal, que já contabiliza 60% de ocupação nas quatro unidades hoteleiras do grupo. Para atrair ainda mais portugueses, Campinas vai enviar seus representantes para a Bolsa de Turismo de Lisboa, feira que espera receber mais de 50 mil pessoas a partir do dia 12 de março na capital portuguesa.

ALTERNATIVA

Campinas não significa apenas Cristiano Ronaldo. Estudo da prefeitura mostra que os torcedores estão escolhendo a cidade como uma alternativa de hospedagem mais acessível, quando comparada à São Paulo e Rio. As diárias são, em média, 30% a 40% mais baratas. Alexandra Caprioli garante que um acordo entre a prefeitura e os empresários vai manter os preços competitivos. Outro fator positivo para a cidade é a oferta de voos do aeroporto de Viracopos.

Tudo o que sabemos sobre:
COPA 2014SELEÇÃO NIGERIANAFUTEBOL

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.