Nigéria tem que vencer a Espanha e torcer por rivais

O discurso do lado africano é de otimismo, embora ninguém negue que o adversário é franco favorito

FERNANDO FARO - Enviado Especial, O Estado de S. Paulo

23 de junho de 2013 | 08h15

FORTALEZA - Se quiser permanecer viva na competição, a Nigéria precisará subverter a lógica e derrotar a Espanha. Nada além da vitória interessa aos africanos no Castelão.

 

Os nigerianos têm três pontos ao lado do Uruguai, que enfrenta o Taiti no outro jogo do grupo e não deve ter dificuldades para vencer com margem larga de gols. Dessa forma, se ambos vencerem haveria um triplo empate em número de pontos e a classificação seria definida no saldo de gols: a Espanha tem 11, a Nigéria está com quatro e o Uruguai com zero. Daí a necessidade de um triunfo, já que a Celeste encara o saco de pancadas da chave.

 

O discurso do lado africano é de otimismo, embora ninguém negue que o adversário é franco favorito. A Espanha tem a seu favor, além de um grande time, um impressionante retrospecto de 27 partidas de invencibilidade em competições oficiais. A última derrota foi na estreia na Copa do Mundo de 2010 (1 a 0 para a Suíça). Mas nem isso diminui o otimismo da Nigéria. "Tudo é possível, depende do desejo que está em você. Claro, com uma pitada de sorte, tudo pode dar certo", afirmou o treinador Stephen Keshi, que não revelou o time que pretende colocar em campo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.