Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Nike prepara lançamento da ‘linha Neymar’ para o segundo semestre

Essas iniciativas fazem parte de um plano para exportar a imagem carismática do atacante

LUÍS AUGUSTO MONACO, O Estado de S. Paulo

20 de abril de 2013 | 08h30

SÃO PAULO - A Nike prepara para o segundo semestre o lançamento de uma linha de roupas esportivas com o nome de Neymar. E antes disso, às vésperas da Copa das Confederações (que será disputada de 15 a 30 de junho), colocará no mercado uma chuteira desenhada especialmente para o craque.

Essas iniciativas fazem parte de um plano para exportar a imagem carismática de Neymar (cujo contrato com a Nike vai até 2022) para outros países. E se até lá ele já for jogador do Barcelona, será perfeito para a empresa – que é a fornecedora de material esportivo do clube. Ter um craque do quilate de Neymar em seu clube “top” é o cenário perfeito para a Nike alavancar o processo para transformá-lo numa estrela mundial.

A empresa patrocina Cristiano Ronaldo, um jogador que arrasta fãs por onde passa, mas quando ele aparece na televisão jogando ou dando entrevista no estádio o que as pessoas veem é a marca da Adidas – que veste o Real Madrid. Foi por Neymar que a Nike se tornou fornecedora do material esportivo do Santos em 2012, no embalo do anúncio de sua recusa ao Real Madrid e da assinatura de um novo contrato com o clube até a metade de 2014.

Se no meio deste ano Neymar trocar a Vila Belmiro pelo Camp Nou, como é a vontade do Barça, a Nike passará a ter uma de suas estrelas jogando no time de futebol com mais visibilidade entre os que fazem parte de sua lista. A ligação entre a empresa e o clube espanhol é muito forte. Sandro Rosell, o presidente do Barça, foi o chefe da Nike na América Latina entre 1999 e 2002, período em que viveu no Rio de Janeiro. Quando trabalhava na empresa na Europa, foi o artífice da união com o Barcelona.

E alguns dos integrantes de sua equipe no clube foram recrutados na empresa, como o diretor de futebol Raúl Sanllehí e a advogada Laura Alsina – que tiveram participação ativa na negociação de 2011 que só não levou o jogador para a Espanha porque o Santos roeu a corda depois de ter fechado o acordo. E agora eles só esperam o sinal verde de Neymar para voltar a negociar com os santistas.

Tudo o que sabemos sobre:
FutebolSantos FCNeymarNike

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.