Nilmar perde espaço na seleção Sub-23

De titular na Copa Ouro a quinta opção para o ataque no Pré-Olímpico. Esta é a trajetória de Nilmar, o segundo jogador mais jovem do grupo que Ricardo Gomes levou para o Chile - completa 20 anos no dia 14 de julho e só é mais velho que Diego, que faz 19 em 28 de fevereiro. Ele perdeu espaço para Dagoberto, Daniel Carvalho e Marcel e terá de lutar muito para reverter a situação durante a competição.Nilmar fez um ótimo primeiro semestre e foi recompensado com a convocação para a disputa da Copa Ouro em julho, no México e Estados Unidos. Começou o torneio como reserva - a dupla de ataque era formada por Robinho e Éwerthon -, mas ganhou a posição a partir do terceiro jogo, contra a Colômbia, e terminou em alta com o treinador. Na época, Ricardo Gomes elogiava sua inteligência em campo e a desenvoltura com que se comportava com a camisa da seleção mesmo sem nunca ter sido chamado para as equipes de base. Na comissão técnica, havia quem visse semelhança entre seu estilo e o do tetracampeão Bebeto.Mas quando voltou para Porto Alegre o seu futebol foi murchando e ele só fez mais dois gols no Campeonato Brasileiro, ambos contra a Ponte Preta. Ricardo Gomes detectou sua queda de rendimento, mas o chamou para os amistosos de novembro, contra Corinthians e Santos, para vê-lo de perto e ter a chance de conversar com ele.O atacante não foi bem nesses jogos e também ficou devendo no Mundial Sub-20, em que foi substituído com freqüência pelo técnico Marcos Paquetá. Ele só foi convocado para o Pré-Olímpico por causa dos problemas que Ricardo Gomes teve para fechar a lista de 20 jogadores.No Chile, ele tem sido uma figura apagada nos treinos e raramente é chamado para dar entrevista quando os jogadores passam pelo saguão do hotel depois do almoço, horário em que atendem a imprensa nos dias em que não há jogo. Foi engolido também por Marcel, que sempre é citado pelo treinador como "uma ótima alternativa" para mexer no ataque por ser um homem de área.Ricardo Gomes acredita que a queda técnica de Nilmar se deve, em parte, à especulação sobre a possibilidade de ser vendido para o futebol europeu. No final do ano passado, falou-se que ele seria comprado pelo Chelsea e deixado seis meses na Rússia antes de se incorporar ao clube inglês. "É claro que isso mexe com a cabeça do menino, ele não é profissional nem há um ano. A verdade é que o rendimento dele despencou", disse o treinador.Nilmar foi ao Pré-Olímpico graças ao que fez na Copa Ouro e ao fato de a comissão técnica ter decidido apostar num jogador com o qual já tinha trabalhado, ao invés de chamar um "calouro". Mas corre o risco de ser um turista no grupo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.