Ninguém no Corinthians fala em título

A liderança isolada do Campeonato Brasileiro e a possibilidade de ampliar a vantagem sobre os concorrentes com os dois clássicos (Santos e São Paulo) que serão disputados novamente por causa da anulação imposta pelo STJD, pelo escândalo do apito, não são suficientes para o Corinthians já falar em título. Nem mesmo a seqüência de partidas (9) que serão disputadas dentro do Estado nesta reta final faz os jogadores pensarem o contrário. A começar pelo Fortaleza, neste sábado, no Pacaembu. ?Não tem nada disso, não. Ainda tá longe. Todos os seis primeiros colocados têm chances de ser campeão?, diz o técnico Antônio Lopes. A maioria escolhe as palavras ao tratar do assunto para que não escape nenhuma declaração que possa ser mal interpretada. ?O caminho ainda é longo. Os times estão equiparados e o Goiás e o Inter - segundo e terceiro colocados, respectivamente - também venceram na rodada?, ressalta Roger. Tevez segue a mesma linha de raciocínio. O argentino ficou até espantado quando foi questionado se o Corinthians já poderia se considerar o campeão. ?Campeão? Não. É cedo para falar em título porque temos muitos jogos pela frente?, destacou. A cautela dos jogadores talvez esteja associada ao desempenho da equipe, principalmente quando atua em casa e com o apoio da Fiel. Os números provam que o Corinthians realmente mostra a sua força quando joga fora de casa. Em 13 partidas, soma nove vitórias e um empate: 71,7%. Em casa, o time conquistou apenas 62,2% dos pontos em disputa - venceu oito e empatou quatro. ?Todo mundo tem o direito de pensar o que quiser, mas nós, profissionais, temos de ter mais cautela, manter os pés no chão porque este é um campeonato acirrado. O desempenho que vai nos credenciar. Se mantivermos o mesmo nível de pegada nos últimos jogos podemos sim começar a pensar no título?, garante Fábio Costa. O goleiro, talvez pela sua experiência no futebol, é um dos poucos que não se sente intimidado ao tratar do assunto. Mas reconhece que o Corinthians que está mostrando força longe de casa, tem de fazer o mesmo como mandante. ?Talvez pela juventude da equipe, alguns jogadores pensam que é simples decidir a partida em dois ou três minutos e futebol não é assim. Não podemos atropelar um processo só porque estamos jogando com o apoio de 30, 35 mil torcedores. Por isso, estamos passando alguns sufocos?, admite. Fábio Costa trata o Fortaleza com muito respeito. Apesar de a equipe cearense acumular alguns tropeços nas últimas rodadas, o goleiro avisa que o Corinthians não pode se iludir. ?É um time muito bem montado pelo Hélio (dos Anjos). Já trabalhei com ele, nos tempos de Vitória, e é um cara que prima pela marcação. E foi isso o que o Fortaleza mostrou diante do Santos, dentro da Vila. E só não ganhou por detalhes. Não podemos nos iludir só porque perderam para o Atlético Paranaense por 4 a 1?, complementa.

Agencia Estado,

06 de outubro de 2005 | 19h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.