Everton Oliveira/Estadão
Everton Oliveira/Estadão

No 1º dia com 'clima' de Copa, loja de produtos oficial em Moscou vira atração

Estabelecimento montado pela Fifa fica bastante movimentado poucos dias antes de início do Mundial

Glauco de Pierri, enviado especial a Moscou, O Estado de S.Paulo

10 Junho 2018 | 20h58

No primeiro dia em que a tradicional Praça Vermelha ganhou um jeitão de Copa do Mundo, a loja de produtos oficiais do Mundial, montada pela Fifa e pelo Comitê Organizador Local (COL) recebeu muita gente. Todo mundo correu para o local, que fica em um shopping center bem em frente à Fan Fest montada ao lado do Kremlin. Enquanto as crianças brincavam com um boneco do Zabivaka, o lobo siberiano que é o mascote oficial do Mundial, os pais buscavam camisetas, moletons, mochilas, selos, pins, chaveiros, canecas, canetas, cachecóis, cadernos, agendas, porcelanas, matrioskas, entre outras lembranças da Rússia-2018.

+ Com sul-americanos, Moscou vive 1º dia com o chamado 'clima' de Copa do Mundo

+ Neymar celebra volta como titular e exalta momento: 'Tem que sonhar mesmo'

"A loja abriu ontem (sábado), mas acho que só hoje (domingo) as pessoas perceberam. Veio gente do mundo todo já e estamos repondo tudo com peças do estoque", disse Dmitri Koskov, um dos atendentes do local. Mais da metade dos funcionários do local falam inglês de forma fluente, uma das exigências do COL para atender os turistas de todas as partes do mundo.

Entre os produtos, o sucesso garantido para as crianças é mesmo o Zabivaka. Uma pelúcia do mascote da Copa em tamanho grande é vendida por 4.500 rublos - cerca de o equivalente a R$ 260. Mas tamanhos menores também podem ser encontrados e o preço varia de cerca de R$ 40 a R$ 170. Camisetas com o bichinho da Sibéria em todas as cores e tamanhos podem ser encontradas de R$ 50 a R$ 120. O chapéu com as orelhas do lobo custa cerca de R$ 100.

"Eu acho que vale a pena comprar. Estou levando coisas para os meus dois sobrinhos pequenos", disse a mexicana Eugenia Liz, que veio para a Rússia com a prima, mas ainda não tem ingressos para os jogos da seleção do seu país. "Mas eu vou em qualquer jogo, nem precisa ser só do México. Poderia ser até do Brasil!", disse com um sorriso no rosto.

 

Dentro da loja, o som ambiente é garantido quase sempre pela cantora colombiana Shakira e o seu hit inesquecível Waka Waka (This Time for Africa), feito para a Copa do Mundo de 2010, na África do Sul. "Essa é muito mais legal do que a música que fizeram para essa Copa da Rússia... a nova eu nem consegui ouvir direito", brincou Eugenia Liz - Waka Waka também é a música preferida de Murilo Busolin e Ananda Portela, produtores do "Drops do Estadão", sucesso no "Stories" da conta do jornal no Instagram.

Outras lojas como a da Praça Vermelha estão espalhadas por Moscou e por todas as cidades-sede, além de uma em cada um dos estádios do Mundial. Lojas em shoppings da Rússia também vendem produtos da Copa pelos mesmos preços. As lembranças também podem ser compradas por quem não veio para o Mundial através da loja online da Fifa na internet.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.