Gabriela Biló/Estadão
Gabriela Biló/Estadão

No 1º jogo após queda de Enderson, Santos não terá Robinho

Equipe do litoral paulista não terá principal jogador, suspenso

SANCHES FILHO, O Estado de S. Paulo

08 Março 2015 | 08h17

Três dias depois da queda de Enderson Moreira, o Santos corre risco de perder a invencibilidade contra o Botafogo, neste domingo, às 18h30, no Estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto, pela oitava rodada do Campeonato Paulista.

Nem tanto pela perda do treinador, que será substituído na partida deste domingo pela dupla de interinos Marcelo Fernandes e Serginho Chulapa, mas pelo desfalque de Robinho, autor de quatro gols nas duas últimas rodadas e que começa a deixar os meninos para trás e a se tornar o melhor jogador do time.

Mesmo com o Santos disparado na liderança do Grupo D, com 17 pontos, e após vitórias contra Portuguesa (3 a 1) e Linense (4 a 2), no Pacaembu, com grandes atuações de Robinho, Enderson foi vencido pela pressão para escalar Gabriel e na saída fez uma série de queixas, inclusive de não ter recebido nenhuma vez desde a sua chegada ao clube o direito de imagem, que representava 40% na composição do seu salário.

No último treino que comandou, Enderson escalou o ataque com Gabriel pela esquerda, no lugar de Robinho, ao lado de Geuvânio de Ricardo Oliveira, alteração confirmada pelo interino Marcelo, mas não houve tempo para que ele comandasse o novo xodó santista no seu primeiro jogo como titular em 2015.

"Com a saída de Robinho e David Braz (suspensos pelo terceiro cartão amarelo), entram Gustavo Henrique e Gabriel, que já foram titulares. Então, ficou tranquilo para fazer as mudanças. É o que temos de melhor para colocar em campo", disse Marcelo, que não tem a pretensão de ser efetivado. "As coisas acontecem com naturalidade. Importante é ir para o jogo e conseguir vitória. Estamos aqui para apoiar qualquer profissional que chegar".

O principal problema na escalação, entretanto, está na lateral esquerda, com Caju (inflamação no púbis) e Chiquinho (edema na coxa esquerda) machucados. Assim, Victor Ferraz vai mais uma vez ser o titular do Santos.

FUTURO CHEFE

O interino tem 43 anos de idade, é ex-zagueiro santista, sobrinho-neto de Antoninho Fernandes, que foi técnico do Santos no fim dos anos 60, e sobrinho de José Paulo Fernandes, que foi um dos integrantes do Comitê de Gestão na administração do presidente Odílio Rodrigues Filho.

A diretoria do Santos deve escolher o novo treinador apenas na próxima semana, após o clássico contra o Palmeiras, quarta-feira, na Vila Belmiro. Nomes especulados no clube apontam na direção de Dorival Júnior, Vagner Mancini, Argel Fuchs e até de Abel Braga.

O presidente Modesto Roma Júnior diz que o novo técnico tem de se encaixar no projeto do Santos, que dá prioridade às categorias de base e lançamento de jovens jogadores, como o atacante Gabriel.

ESTREIA NO BOTAFOGO

Brigando ponto a ponto com a Portuguesa para garantir um lugar entre os classificados para a próxima fase do Campeonato Paulista, o Botafogo promoverá a estreia do técnico Mazola Júnior contra o Santos.

Antes, sob o comando de Alexandre Ferreira, o Botafogo somou nove pontos no Grupo B, mas vem de uma dura derrota, por 2 a 1, sofrida diante do XV de Novembro, em Piracicaba. O estreante Mazola indicou nos treinamentos que muita coisa vai mudar e aproveitará jogadores que não vinham nem sendo relacionados anteriormente.

"A mudança é salutar quando as coisas não andam bem é preciso mudar. Mas isso não significa que os que vão sair não possam voltar. Muito pelo contrário, temos que fortalecer todo o grupo", argumentou Mazola.

A principal alteração será no ataque. Giancarlo deve aparecer ao lado de Wesley. Mudanças acontecerão também no meio de campo e no sistema defensivo.

No setor direito, Roniery assume o posto de Gimenez, que jogará mais avançado, atuando como volante, ao lado de André Rocha. Luciano Sorriso deixa o time. Bruno Costa e Carlos Henrique brigam por uma posição no lugar do zagueiro Halisson, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. Sorte do time da casa porque ele foi o pior jogador em campo em Piracicaba, tendo feito um pênalti e marcado um gol contra.

Mais conteúdo sobre:
futebol Paulistão Santos FC Botafogo-SP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.