No Botafogo, nem tudo é motivo de festa

Dia de calmaria e alegria em General Severiano. O elenco do Botafogo entrou de férias nesta segunda-feira feliz com a atuação da equipe no empate com o Atlético-PR, por 1 a 1, na Arena da Baixada, que assegurou a permanência do clube na divisão de elite do Campeonato Brasileiro. Mas há no grupo quem não veja motivos para festejar nada. "O Botafogo é um clube grande e não pode se contentar apenas em fugir do rebaixamento. Tem que estar sempre lutando por títulos", declarou o volante Fernando.O presidente Bebeto de Freitas concordou com o jogador. E já começou a traçar algumas metas para a próxima temporada. Uma delas é manter Paulo Bonamigo à frente do comando do Alvinegro. A renovação de contrato do treinador não deve ser difícil de ser concretizada.Além de Bonamigo ter se identificado com o clube e o espírito de luta dos jogadores, ele já entregou a Bebeto de Freitas uma lista com possíveis reforços. A relação entre ambos é de harmonia e elogios recíprocos. "Bonamigo pegou o barco à deriva e deu conta do recado. Após a saída do Levir Culpi, o elenco perdeu a direção. E, mesmo num momento difícil, ele teve controle do grupo", declarou o presidente do Botafogo, que evitou antecipar a tradicional lista de dispensa de fim de ano.Para o dirigente, o maior mérito de Bonamigo foi manter a tranqüilidade nos momentos de maior tensão. Nem a possível queda à Segunda Divisão, contra o Atlético-PR, na Arena da Baixada, tirou o otimismo do treinador. "Ele se manteve sempre à altura de qualquer situação. Enquanto eu ficava nervoso, Bonamigo era o ponto de tranqüilidade. Ele sempre incentivou todos", afirmou Bebeto de Freitas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.