Daniel RAMALHO/CRVG
Daniel RAMALHO/CRVG

No Caldeirão de São Januário, Vasco recebe Bahia em duelo de peso na Série B

Torcida vascaína esgota todos 22 mil ingressos para o confronto deste domingo, válido pela sétima rodada do campeonato

Redação, Estadão Conteúdo

15 de maio de 2022 | 05h28

Se o jogo entre Cruzeiro e Grêmio foi o grande confronto da rodada passada na Série B do Campeonato Brasileiro, desta vez todas as expectativas estão com Vasco e Bahia. Campeões nacionais, os dois se enfrentam neste domingo, às 16h, em São Januário, no Rio de Janeiro (RJ), pela sétima rodada.

Único invicto na competição, o Vasco ainda não empolgou, mas vem conquistando resultados importantes e está com dez pontos. O grande trunfo é a torcida, que esgotou 22 mil ingressos em cerca de 24 horas faltando três dias para o jogo.

Sabendo da força do "Caldeirão", o Vasco fez de tudo para reverter a decisão de adiamento da partida para segunda-feira, e conseguiu após negociação com a Polícia Militar, que temia dois jogos na cidade - Botafogo e Fortaleza jogam às 18h pela Série A.

O Bahia já perdeu sua invencibilidade, mas com quatro vitórias e um empate, briga pela liderança, com 13 pontos. E, diferente do adversário, os resultados estão vindo acompanhados de boas atuações, talvez as melhores da Série B. O time ainda conta com o melhor ataque (9) e melhor defesa (2).

Se tem um jogador que brilhou os olhos do torcedor vascaíno, apesar de não estar 100% fisicamente, é o meia chileno Palacios. Mas aí está o maior problema do técnico Zé Ricardo para o jogo. O meia sofreu uma pancada no joelho durante treinamento e será reavaliado. Lesão grave foi descartada, mas ele é dúvida para o jogo.

A boa notícia fica por conta dos retornos do meia Vitinho e do atacante Erick, ambos recuperados de lesão. Assim, o departamento médico fica praticamente vazio, apenas com Sarrafiore e Ulisses, já em fase de transição. Pressionado, Zé Ricardo reconheceu que o Vasco precisa melhorar seu desempenho e destacou a força da torcida.

"Queremos melhorar, evoluir e trazer realmente alegria a todos nós vascaínos. Entendo a insatisfação e queremos melhorar em relação à performance. Importante dizer que a torcida está no direito de cobrar, mas fica claro que, quando está ao nosso lado, e ela tem ficado muito do nosso lado, São Januário vira um caldeirão para o nosso adversário", elogiou.

Apesar do bom desempenho na Série B, o Bahia sofreu para eliminar o Azuriz-PR no meio de semana. Após empatar por 1 a 1, venceu os pênaltis por 4 a 3. O técnico Guto Ferreira ganhou um problema, pois o zagueiro Luiz Otávio sentiu incômodo muscular na coxa e não deve jogar. Assim, Didi é o favorito para a vaga. O meia Lucas Mugni e os atacantes Hugo Rodallega e Raí seguem como desfalques.

Ciente do desgaste, Guto Ferreira não confirmou o time e afirmou que analisará a parte física. "Vamos ver o que teremos. Temos jogadores que vão chegar para avaliação física e vamos tomar a decisão. Mas o que fica dessa última partida é que o meu time não desiste nunca. Esse espírito tem que ser exaltado no Bahia", destacou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.