Jorge Adorno/Reuters
Jorge Adorno/Reuters

No Catar, Blatter cobra mais segurança para os trabalhadores da Copa

Dirigente quer melhores condições de trabalho para os imigrantes

Estadão Conteúdo

15 Março 2015 | 12h13

Em visita ao Xeque Tamim bin Hamad Al Thani, emir do Catar, o presidente da Fifa, Joseph Blatter, cobrou que o país se esforce mais para melhorar as condições de trabalho dos imigrantes contratados para executar as obras dos estádios e de infraestrutura para a Copa do Mundo de 2022.

"Como vários grupos de direitos humanos já anunciaram, houve progresso no Catar recentemente, principalmente por causa do padrão imposto pelo Comitê Supremo aos locais de construção. Mas mais ainda precisa ser feito no Catar para garantir condições justas e uniformes para todos", destacou o mandatário da entidade.

De acordo com Blatter, o próprio emir se comprometeu a melhorar as condições de trabalho dos imigrantes. "É encorajador ouvir pessoalmente do emir seu compromisso com o bem-estar dos trabalhadores e ter uma boa noção de quais progressos serão alcançados pelos trabalhadores no Catar.

Às vésperas de mais uma eleição presidencial na Fifa, o suíço afirmou que o Catar está assumindo sua responsabilidade de futura sede da Copa, apesar das recorrentes denúncias de abuso nas condições de trabalho no país. "Está claro que o Catar assume sua responsabilidade de país anfitrião, de forma séria, e vê a Copa do Mundo como um catalisador de uma mudança social positiva", declarou.

Blatter se reuniu com o emir do Catar neste fim de semana porque as condições de trabalho no país serão discutidas pelo Comitê Executivo da Fifa na quinta e na sexta-feira da próxima semana, em Zurique.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.