Alexandre Vidal / Flamengo
Alexandre Vidal / Flamengo

No clássico, Flamengo quer ampliar série invicta e Vasco tenta encerrar jejum

Time rubro-negro não perde para o rival cruzmaltino há cinco anos

Ricardo Magatti, especial para a AE, Estadão Conteúdo

15 de abril de 2021 | 08h05

Em momentos diferentes e com ambições totalmente opostas em 2021, Flamengo e Vasco se enfrentam pela primeira vez nesta temporada. O clássico acontece nesta quinta-feira, às 19 horas, no Maracanã, em duelo que encerra a nona rodada do Campeonato Carioca. O time rubro-negro não perde para o rival cruzmaltino há cinco anos e quer ampliar essa invencibilidade.

Enquanto o time rubro-negro vem embalado pela conquista da Supercopa do Brasil e joga sem peso, uma vez que está garantido no mata-mata do Estadual, a equipe cruzmaltina, em reconstrução, busca ganhar corpo e vai atrás de uma vaga nas semifinais da competição.

Bicampeão da Supercopa ao bater o Palmeiras nos pênaltis no último domingo, o Flamengo tem 19 pontos e é o vice-líder do Carioca, atrás do Volta Redonda, que lidera com 20. Portanto, se vencer, o time do técnico Rogério Ceni assume a liderança do torneio faltando duas rodadas para o término da primeira fase.

Ainda tentando embalar na temporada, o Vasco mostrou evolução nas partidas recentes, visto que conseguiu avançar à terceira fase da Copa do Brasil e, na competição estadual, vem de vitória por 4 a 2 sobre o Bangu. Os comandados de Marcelo Cabo precisam manter o ritmo para entrar no G4 e assegurarem um lugar no mata-mata. Hoje, a equipe aparece na oitava colocação, com dez pontos, seis a menos que o Fluminense, que fecha o grupo dos quatro melhores. Assim, se perder, estará eliminado da Taça Guanabara.

O clássico seria realizado na quarta, mas foi transferido para esta quinta a pedido do Flamengo, que quis um dia a mais de descanso. O Vasco disse que não foi consultado antes de a Ferj realizar a mudança, e o vice-presidente geral, Carlos Roberto Osório, se mostrou revoltado com o adiamento, que considerou "absurdo" e "um desrespeito". Quase centenário, o chamado Clássico dos Milhões reúne diversas diferenças entre os dois times atualmente. Atual campeão brasileiro, o Flamengo, equilibrado financeiramente, com uma folha salarial quase sete vezes maior do que a do rival e um elenco estrelado, tenta se manter entre os principais times do futebol brasileiro e quer continuar levantando taças.

O Vasco, por outro lado, planeja reduzir despesas, passa por um processo de reformulação no elenco, com saídas e chegadas de jogadores, e tem como principal objetivo em 2021 o retorno à Série A do Brasileirão após amargar o seu quarto rebaixamento na história.

E essa diferença financeira, de organização e estrutura é refletida em campo, visto que o Flamengo defende uma invencibilidade de 17 partidas contra o rival, que não triunfa no clássico desde abril de 2016. Ainda assim, os vascaínos ostentam a maior série invicta do clássico, de 20 jogos, estabelecida entre 1945 e 1951.

No duelo desta quinta, Rogério Ceni deve escalar os titulares. A ideia é usar força máxima contra o arquirrival e escalar uma equipe alternativa no sábado, contra a Portuguesa, já pensando na estreia na Copa Libertadores diante do Vélez Sarsfield, terça-feira que vem, na Argentina.

A tendência é que o treinador mande a campo no Maracanã exatamente o mesmo time que iniciou o último duelo contra o Palmeiras. A única dúvida fica por conta da presença ou não de Pedro. O atacante sofreu uma lesão na coxa esquerda no dia 24 de março, na vitória sobre o Botafogo, e avançou em seu processo de recuperação nesta semana. No entanto, ainda é pouco provável que tenha condições de voltar a jogar.

No Vasco, a missão de Marcelo Cabo é dar um cara para o time. O treinador sinaliza que está no caminho certo e segue invicto desde que assumiu a equipe, com cinco empates e três vitórias. Porém, ele ainda busca o primeiro triunfo em clássicos. Sob seu comando, o time Cruzmaltino tem exibido movimentação constante, troca de posições e depende menos de Cano, de modo que diversificou os gols marcados nesta temporada, com mais jogadores sendo protagonistas. O atacante argentino, aliás, persegue seu primeiro gol diante do Flamengo.

O jovem meio-campista MT foi recentemente reavaliado e continua sem previsão de retorno. Ele não tem mais dores na região lombar, mas ainda não foi liberado para voltar aos treinamentos com bola e com o grupo. Os atacantes Talles e Vinícius também seguem fora. O primeiro realiza fisioterapia diariamente e sua recuperação é considerada boa, e o segundo foi submetido a uma cirurgia no nariz na semana passada depois de uma pancada involuntária de Castan em treinamento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.