Agência i7|Mineirão
Agência i7|Mineirão

No dia do seu 52º aniversário, Mineirão imortaliza Reinaldo e Tostão

Os dois maiores artilheiros do estádio tiveram suas pegadas gravadas em bronze na Calçada da Fama

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

05 de setembro de 2017 | 16h13

No dia em que comemora 52 anos, o Mineirão imortalizou os dois maiores artilheiros do estádio. O atacante Reinaldo, eterno "Rei" do Atlético, e Tostão, um dos maiores jogadores da história do Cruzeiro, foram convidados a gravar suas pegadas na Calçada da Fama do Museu Brasileiro do Futebol, espaço cultural do Gigante da Pampulha. Os moldes dos pés dos maiores craques do futebol mineiro serão expostos em bronze.

Tostão e Reinaldo se juntam a outros 23 importantes nomes do futebol que já estavam representados na Calçada da Fama: Alex, Amaury, Buglê, Dadá Maravilha, Dirceu Lopes, Djalma Santos, Eder, Euller, Evaldo, Jair Bala, Juca Show, Luisinho, Marques, Nelinho, Piazza, Procópio, Pelé, Palhinha, Ronaldo e Sorin já deixaram as marcas dos seus pés. Os goleiros Fábio, João Leite e Raul deixaram no local as imagens de suas mãos.

O coordenador do Museu Brasileiro do Futebol, Thiago Costa, comemorou a participação dos dois craques. "É registro dos dois maiores artilheiros do Mineirão, Reinaldo, autor 152 gols, e Tostão, dono de 143 gols. São dois ícones do futebol mundial que agora preencherão duas lacunas da história cinquentenária do Gigante da Pampulha. Um testemunho para o presente, e um legado para a memória do futebol", disse.

A expectativa é de que as placas de bronze com as pegadas dos dois craques estejam expostas ainda em setembro. Aberto ao público em 2013, o Museu Brasileiro do Futebol pretende expor, pesquisar e preservar artefatos materiais e imateriais do futebol brasileiro. Todos estes espaços foram preparados durante a revitalização. Desde a abertura, já foram mais de 240 mil visitantes.

http://esportes.estadao.com.br/noticias/futebol,mineirao-tera-forte-seguranca-em-seu-1-classico-com-

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.