Vitor Silva / SS Press / Botafogo
Vitor Silva / SS Press / Botafogo

No Engenhão, Botafogo recebe a Cabofriense para fazer as pazes com a sua torcida

'O torcedor está triste, vai nos cobrar e estamos prontos', disse o técnico Alberto Valentim

Estadão Conteúdo

25 de fevereiro de 2018 | 08h26

Após estrear com o pé direito na vitória sobre o Nova Iguaçu por 2 a 1, o técnico Alberto Valentim se prepara agora para o seu primeiro encontro com a torcida. Neste domingo, o Botafogo recebe a Cabofriense, às 19h30, no estádio do Engenhão, no Rio de Janeiro, pela segunda rodada da Taça Rio - o segundo turno do Campeonato Carioca.

+Após 10 meses, Marcinho se emociona com o retorno ao Botafogo

+ TABELA - Confira a classificação da Taça Rio

Com a vitória conquistada na última quinta-feira, o Botafogo somou seus primeiros três pontos e quer um novo resultado positivo para seguir entre os melhores do Grupo C. Por outro lado, a Cabofriense busca a reabilitação depois de estrear com derrota de virada para o Boavista por 3 a 2, em casa.

Apesar do resultado positivo na estreia, Alberto Valentim sabe que o encontro com a torcida botafoguense será tenso. Isso ainda é resquício das eliminações na semifinal da Taça Guanabara (primeiro turno) para o rival Flamengo e na primeira fase da Copa do Brasil diante da modesta Aparecidense-GO.

"Precisamos unir forças. Esse foi um dos termos que falei na minha apresentação. O torcedor está triste, vai nos cobrar e estamos prontos. A vitória vai nos dar confiança, talvez um pouquinho mais de paciência do torcedor, mas é importante que ela venha e nos ajude a vencer essa segunda partida", comentou Alberto Valentim, uma nova esperança de reconstrução para o clube.

A reapresentação do elenco alvinegro aconteceu na última sexta-feira, mas os jogadores que enfrentaram o Nova Iguaçu realizaram apenas um trabalho regenerativo. Sem desfalques, Alberto Valentim deve manter a formação da última partida.

Mesmo com a derrota para o Boavista, o técnico Antônio Carlos Roy não deve promover mudanças entre os titulares porque a Cabofriense teve um bom desempenho no primeiro tempo, mas caiu de rendimento após o intervalo. "Não é por falta de comprometimento ou de doação que passamos a perder. Mas sabemos que em determinados momentos a falta de concentração tem nos custado caro", alertou o zagueiro Victor Silva.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.