Alexandre Vidal/Flamengo
Alexandre Vidal/Flamengo

No Fla, Diego Alves explica sucesso nos pênaltis: 'Sinto o nervosismo do batedor'

Goleiro pegou cobrança na vitória sobre a LDU nesta quarta-feira pela Libertadores

Redação, Estadão Conteúdo

14 de março de 2019 | 20h38

O Flamengo passeou diante da LDU na última quarta-feira, por 3 a 1, no Maracanã, e chegou à segunda vitória em dois jogos na Libertadores, mas a história poderia ter sido bem diferente se não fosse por Diego Alves. Quando o placar apontava 1 a 0 para o time da casa, os equatorianos tiveram a chance de empatar em uma cobrança de pênalti, que o goleiro rubro-negro defendeu.

Esta foi mais uma das muitas defesas de Diego Alves na carreira. O goleiro leva a fama de pegador de pênaltis desde os tempos em que jogava na Espanha, por Almería e Valencia, e tem a mantido no Brasil. Nesta quinta, ele comentou sobre o lance e explicou o sucesso neste tipo de jogada.

"Me fazem essa pergunta desde a Espanha. Eu gosto de chegar, estar ali próximo e sentir o batedor. A gente sente esse nervosismo, é um jogo psicológico", explicou em entrevista ao SporTV o goleiro, que chegou a falar com o cobrador da LDU, Intriago.

"Eu não posso falar o que eu disse, é coisa de campo (risos). No momento em que saiu o pênalti, eu cheguei pert, falei uma coisinha no ouvido dele e tive essa sorte de acertar o canto", completou.

A atuação de quarta foi uma das melhores do Flamengo no ano. Everton Ribeiro, Gabriel e Uribe marcaram os gols da equipe, que poderia ter aplicado uma goleada, não fossem as muitas chances desperdiçadas. Diego Alves destacou o desempenho, mas alertou que o time rubro-negro nem sempre conseguirá jogar assim.

"Tem jogos, como na Bolívia (contra o San José), em que não vamos conseguir render e nem jogar tão bonito. Conseguimos lidar com a ansiedade de jogar em casa, para 60 mil pessoas no Maracanã. Foi um de nossos melhores jogos. Mas é um começo ainda, tem muito trabalho pela frente", comentou.

Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.