No Gaúcho, rodada promete ser tensa

Os times que disputam a fase semifinal do campeonato gaúcho voltam a campo nesta quarta e quinta-feira para uma rodada que será muito tensa sobretudo no acesso aos estádios e nas arquibancadas, depois dos violentos enfrentamentos entre torcidas no fim de semana, que provocaram a morte de um torcedor, traumatismo craniano em outro e a amputação da mão de um policial. Houve explosões de bombas de fabricação caseira durante e depois do jogo em que o Internacional venceu o Juventude por 1 a 0, em Caxias do Sul, no domingo. Como resultado dos conflitos, o Grêmio e o Juventude retiraram os benefícios que davam às suas torcidas organizadas, como ingressos subsidiados. Mas a medida pode não ser suficiente para evitar novos atos de violência. Um dirigente de uma torcida tricolor disse às rádios gaúchas que nas organizadas os torcedores são cadastrados e submetem-se a algum controle. Sem entrar nos estádios, eles vão promover atos de vandalismo nas ruas, advertiu. O presidente da Mancha Verde, do Juventude, Cláudio Spigolon, lembrou que a punição do clube não impedirá a torcida de se reunir. Nesta quarta-feira, o Internacional pode se isolar na liderança do Grupo 5 se vencer o Esportivo no Beira-Rio e se o São Gabriel, com quem divide a primeira posição, não ganhar do Juventude em Caxias no Sul. Pelo Grupo 6, o jogo entre XV de Novembro e o Guarani vale a liderança. Os dois times estão com três pontos. Na quinta-feira jogam Grêmio e Pelotas, no Olímpico. Quem perder não terá mais chances de ir à final do campeonato.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.