No Inter, Aylon condena agressão de Edílson: 'Atitude infeliz e covarde'

'Foi uma infelicidade do Edílson. Uma atitude infeliz e covarde', diz jogador do Colorado

Estadão Conteúdo

24 Outubro 2016 | 20h14

O Gre-Nal aconteceu no último domingo, e nesta segunda-feira tanto Grêmio como Internacional se reapresentaram e iniciaram o trabalho para a importante semifinal da Copa do Brasil, mas o polêmico clássico pelo Campeonato Brasileiro ainda repercute. Isso por causa da agressão de Edílson a Rodrigo Dourado, que resultou na expulsão dos dois jogadores. Do lado colorado, o atacante Aylon não se furtou a comentar o lance e condenou a atitude do rival.

"Foi uma infelicidade do Edílson. Uma atitude infeliz e covarde. Deu três, quatro socos em um cara que estava de costas. Ele foi muito infeliz e creio que será suspenso. Mas agora passou, bola para frente", declarou o jogador.

No lance em questão, Edílson entrou em uma confusão iniciada por Vitinho e Kannemann e acertou Dourado com uma série de socos. O árbitro viu e expulsou o lateral. Depois de uma longa paralisação, "convencido" pelas reclamações gremistas, mostrou o vermelho também ao volante colorado.

Apesar de comentar a polêmica, Aylon fez questão de colocar o clássico para trás. Afinal, o Inter entra em campo para um duelo decisivo pela ida das semifinais da Copa do Brasil nesta quarta-feira. Em casa, iniciará a disputa com o Atlético-MG para tentar ficar com uma das vagas na decisão do torneio.

"Será um jogo difícil, mas vamos com muita vontade de ganhar. Precisamos fazer um bom resultado dentro de casa, principalmente não sofrendo gols. Temos dois jogos essa semana dentro de casa e contamos com o apoio da torcida para nos empurrar", comentou o jogador, já mirando também o confronto de sábado diante do Santa Cruz, pelo Brasileirão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.