Jorge Zapata/EFE
Jorge Zapata/EFE

No Málaga, Schuster lamenta domínio de Barça e Real

O treinador irá substituir o espanhol Manuel Pellegrini, que foi para o Manchester City

AE-AP, Agência Estado

23 de junho de 2013 | 17h25

Anunciado no último dia 14 como novo técnico do Málaga, no qual irá substituir o espanhol Manuel Pellegrini, o alemão Bernard Schuster chegou ao clube espanhol para realizar um trabalho a longo prazo, pois assinou contrato para comandar o time por cinco temporadas. Neste domingo, ao projetar os seus próximos desafios, o treinador admitiu, em entrevista ao canal de TV do clube, que se sente incomodado com o amplo domínio imposto por Barcelona e Real Madrid na Espanha.

Os dois gigantes conquistaram as últimas nove edições do Campeonato Espanhol e Schuster credita muito deste domínio ao enorme poder financeiro destes clubes. "Não gosto desta lacuna estabelecida pelos dois grandes time por causa de suas possibilidades econômicas", afirmou o alemão, que já defendeu Barcelona e Real Madrid como jogador e como treinador levou a equipe madrilenha ao título do Campeonato Espanhol em 2008.

Schuster, porém, reconhece que vê "muita competitividade do quarto ao décimo lugar" no principal torneio da Espanha e acredita que, a longo prazo, os times médios da Espanha poderão interromper o domínio de Real e Barcelona. O Valencia foi o último a ganhar o Campeonato Espanhol antes dos dois maiores clubes do país iniciarem um longo domínio, marcado por seis títulos da equipe catalã e três da madrilenha.

Empolgado com o novo desafio como técnico do Málaga, que na temporada passada foi até as quartas de final da Liga dos Campeões e por muito pouco não avançou às semifinais, Schuster ainda prometeu: "Teremos um time altamente motivado, com um estilo marcado pela minha próxima experiência como jogador e como técnico, sempre tratando nossos adversários como iguais. (Quero) um time destemido e corajoso".

Tudo o que sabemos sobre:
futebolMálagaBernd SchusterFutinter

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.